cibelle_gaidus/Creative Commons

Veterinária dá dicas das primeiras medidas a serem tomadas para garantir o bem estar do pet que será levado para casa

Optar por adotar um animal é uma das atitudes mais importantes para diminuir o número exorbitante de cães e gatos abandonados e sujeitos a mal tratos em todo o país. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem mais de 30 milhões de animais abandonados vivendo nas ruas do Brasil. Destes, mais de 20 milhões são cachorros. Porém, é crucial que a adoção seja responsável e ofereça os cuidados básicos e fundamentais para assegurar o bem-estar do animal e também dos membros da família.

Por que é tão difícil adotar?

 De acordo com a médica veterinária da Esalpet, Leocádia Chalita de Lima, o primeiro passo para quem acabou de adotar um pet é providenciar o controle de pulgas e carrapatos e a vermifugação dos animais. “São medidas fundamentais para garantir o conforto do pet e prevenir diversos tipos de zoonoses, doenças que podem ser transmitidas dos animais para os seres humanos”, explica a especialista. Para garantir a saúde de cães e gatos adotados, é fundamental também que o dono certifique que o animal recebeu todas as vacinas necessárias. “Somente o esquema vacinal completo confere a imunização do animal, deixando-os livres de doenças infectocontagiosas e com boa qualidade de vida”, esclarece.

Agência Brasília/Creative Commons

Na hora de adotar, fique atento à castração. Infelizmente algumas ONGs e projetos de animais estão levando peludos não castrados para as feirinhas. Além de ser um desserviço a causa animal, pode colocar em risco a saúde do peludo. Por isso, só adote animais castrados, vermifugados e vacinados.

É possível adotar cães de raça

Além de contribui com o aumento da expectativa de vida dos animais, a castração, segundo a veterinária colabora não só com o controle de reprodução animal mas também protege de futuras doenças no aparelho reprodutivo como tumores e infecções.

Para completar, a médica veterinária lembra que outros cuidados básicos podem fazer toda a diferença para a saúde e bem estar dos pets. “Garantir uma alimentação regrada e balanceada, procurar um veterinário a qualquer sinal ou mudança de comportamento e manter a higiene em dia sem dúvida vão garantir uma adaptação muito mais sadia e tranquila para o cão ou gato em um novo lar”, completa Leocádia Chalita de Lima.

Paul VanDerWerf/Creative Commons

Nem todos estão prontos para ter um animal de estimação!

Sei que um cachorro é fofo, uma gracinha, o melhor amigo do homem. Mas antes de querer ter um, precisa de muito planejamento. Não são raros os casos e abandono ou mesmo doação para outra família. Normalmente isso acontece pela aquisição impulsiva. Se muitos têm filhos no susto, o que dirá um cachorro ou gato. Por isso, avalie muito sua vida, sua rotina e sua disponibilidade. Faça uma lista de todos as características que vocês busca em um peludo. Assim, minimiza sua frustração e aumenta a chance de vocês se amarem para sempre!

Para alertar sobre esse tema, fiz um vídeo no meu canal do YouTube, com uma linguagem bem irônica. Veja se você se identifica.