Pedro Cardoso elogia Globo e critica YouTube: ‘Um patrão que não me conhece pelo nome’

Redação - O Estado de S.Paulo

Ator falou sobre relação dele com a grande mídia e plataformas de internet em entrevista ao ‘Pânico’

O ator e diretor Pedro Cardoso.

O ator e diretor Pedro Cardoso. Foto: Reprodução/Pânico

Pedro Cardoso reflete, de maneira positiva, a relação que teve com a TV Globo. O eterno Agostinho, de A Grande Família, concedeu entrevista ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan, e falou sobre carreira, política e como lida com as redes sociais. 

O ator deixou a emissora da família Marinho há aproximadamente dois anos. Em junho de 2016, no mesmo programa Pânico, Pedro Cardoso revelou ‘desprezo absoluto’ da Globo por seu trabalho.  "Eu achava que a Globo me ofereceria um horário para desenvolver um projeto autoral. Tiveram o mais absoluto desprezo pelo meu trabalho lá dentro", disse na ocasião.

No Pânico, Pedro Cardoso afirmou que não deixou a Globo por questões políticas, mas administrativas. “Eu trabalhei na Globo por 35 anos, tive uma relação excepcional. Fiquei no ar 15 anos, quase, com A Grande Família. Eu trabalhava com uma liberdade rara de se encontrar. Enquanto há uma coincidência do interesse econômico do empregador e do interesse artístico do empregado, as coisas funcionam muito bem e eu não cheguei a ter com a Globo uma divergência artística. A interrupção da minha relação com a Globo se deu, eu acredito, por decisões administrativas: houve uma mudança no mercado, chegou um momento em que eu tinha um salário muito alto”, analisou.

Ele também contou que está em negociação avançada com uma plataforma de streaming para um novo projeto, mas não deu mais detalhes. 

Sobre a relação que tem com as mídias sociais e outras plataformas de internet como o YouTube, Pedro Cardoso foi incisivo: “O grande exemplo pra mim é o Porta dos fundos: aquelas pessoas estavam ali na Globo e a Globo não teve estrutura para eles trabalharem com a liberdade que o outro patrão, que é um patrão desinteressado de tudo, que é o Google, teve. O YouTube não me paga nada, aí me dá total autonomia. Se eu der dinheiro pra ele, ele me dá uma parte que eu jamais vou saber qual é. Eu odeio trabalhar para o YouTube. Eu prefiro trabalhar pra Globo, eu prefiro negociar com a Globo a minha liberdade e o meu salário do que trabalhar para um patrão que não me conhece pelo nome, que não sabe quem eu sou, que não te nenhum interesse pelo país onde eu vivo”, disse.

O ator também fez críticas ao governo Bolsonaro, mas relatou que tem muitos bons amigos que votaram no presidente e, nem por isso, rompeu relações com eles. Pedro Cardoso declarou que é contra qualquer extremismo, seja de esquerda ou de direita, e que impedem qualquer tipo de liberdade de expressão.

Assista ao vídeo: