Daniela Mercury pede 'apoio das famílias' em Dia Contra Homofobia

Redação - O Estado de S.Paulo

'Dia de apoiar a luta por igualdade, respeito, liberdade de amar e de ser feliz e viver em paz', escreveu cantora; diversos artistas também celebraram a data

Daniela Mercury e Malu Verçosa durante sessão solene em homenagem ao cinquentenário do Levante de Stonewall na Câmara dos Deputados em Brasília, em junho de 2019.

Daniela Mercury e Malu Verçosa durante sessão solene em homenagem ao cinquentenário do Levante de Stonewall na Câmara dos Deputados em Brasília, em junho de 2019. Foto: Gabriela Biló / Estadão

O Dia Internacional da Luta Contra a Homofobia ocorre anualmente em 17 de maio. Diversos artistas usaram suas redes sociais para relembrar a data e defender a comunidade LGBT no Brasil e no mundo. Entre eles, Daniela Mercury.

"Dia de apoiar a luta por igualdade, respeito e liberdade de amar, de ser feliz e de viver em paz com o apoio das famílias e sem opressão e violência da sociedade", afirmou a cantora.

Pabllo Vittar, por sua vez, escreveu: "Queria pedir mais união, que a gente se respeitasse mais e que possamos entender que isso é uma luta coletiva! Vamos nos amar mais, o mundo já é bem maldoso com as pessoas da nossa comunidade".

Alessandra Maestrini brincou sobre o fato de seu aniversário cair na mesma data em que o Dia Internacional da Luta Contra a Homofobia: "Uma estreia é uma estreia, né, meu amor?"

Outros nomes como Leandra Leal, Gretchen, Paolla Oliveira, Fernanda Paes Leme e Deborah Secco fizeram postagens nas redes sociais sobre a data.

Confira publicações de artistas sobre o Dia Internacional da Luta Contra a Homofobia:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Em meio ao caos, sem esquecer do que importa. #loveislove #diainternacionalcontraahomofobia #lgbtqfobia #respeito #empatia

Uma publicação compartilhada por Leandra Leal (@leandraleal) em

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Amor é amor! ❤️ . Via @designativista

Uma publicação compartilhada por Deborah Secco (@dedesecco) em

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Neste domingo é celebrado o Dia Internacional de Combate à LGBTfobia. Ano após ano, o Brasil segue no topo do ranking mundial de países com mais registros de assassinatos de transexuais e travestis. Mas a LGBTfobia não são só casos de violência física e assassinatos. Ela está presente em comentários, que muitas vezes passam despercebidos como: "Isso é coisa de viado"; "ele não é gay, é macho"; "tão bonito, que desperdício ser gay"; "me enganava" (se referindo a uma pessoa trans); "é lésbica porque não conheceu um homem de verdade", etc. Ou ainda enfatizar a orientação sexual de alguém como se isso tivesse importância; achar que todo bissexual é promíscuo. Enfim, palavras que ferem e até ajudam na construção de LGBTfóbicos que externam sua fobia através da violência.  O respeito é para TODOS. Você não precisa ser LGBT para lutar contra a LGBTfobia! Você precisa ser apenas humano e ser contra qualquer tipo violência. Então que tal repensarmos se já machucamos alguém com palavras e gestos preconceituosos?

Uma publicação compartilhada por Daniel Lenhardt (@daniel_lenhardt) em