Brasileiro gasta, em média, R$ 750 por ano comendo fora de casa

Redação - O Estado de S.Paulo

Chocolate, salgados, café e sorvete estão entre os produtos mais consumidos em todo o mundo entre pessoas que se alimentam em restaurantes

Comer fora de casa se tornou uma realidade mundial.

Comer fora de casa se tornou uma realidade mundial. Foto: @RitaE / Pixabay

A consultoria multinacional Kantar Worldpanel, especializada em consumo, calculou num relatório recente que o brasileiro gasta em média R$ 747 por ano com comidas e bebidas fora de casa. Os dados foram coletados entre maio de 2016 e junho de 2017.

Os pesquisadores identificaram que mais da metade da população do País (53%) abraçou o hábito de se alimentar na rua na maioria das vezes durante o dia, acompanhando a média global de 56%.

Além disso, as pessoas adotaram estilos de vida mais sadios em todo o planeta. Em média, 41% dos gastos foram para lanches saudáveis e bebidas não alcoólicas, incluindo probióticos e hidratantes. “Os cardápios estão ficando mais simples mundialmente, porque os consumidores preferem refeições mais leves, com menos proteína animal e com métodos de preparo mais limpos”, afirma a empresa em seu site.

Mesmo com essa tendência mundial, produtos que podem fazer mal a saúde seguiram sendo os mais comprados, como café (consumido por 70% dos entrevistados em todo o mundo), sorvete (58%), salgados (43%), chocolates (31%) e biscoitos (30%).

O comportamento de comer e beber fora de casa faz a Kantar Worldpanel acreditar que propagandas voltadas para esse tipo de consumo valem a pena para a indústria alimentícia e restaurantes.

No entanto, a afirmação não dialoga só com formas saudáveis de viver. A diretora de soluções da consultoria na América Latina, Valeria Berlfein, revela que 81% dessa publicidade - conhecida como Out Of Home (Fora de Casa, em tradução livre) - são voltados para o consumo de salgados no Brasil.