Yara Flor, a Mulher-Maravilha brasileira, ganhará série de televisão

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Joëlle Jones, criadora da personagem, confirmou a informação no Twitter e mostrou heroína junto com Caipora em nova arte

Criadora de Yara Flor disse que histórias da heróina trarão elementos do folclore brasileiro

Criadora de Yara Flor disse que histórias da heróina trarão elementos do folclore brasileiro Foto: Joëlle Jones / DC Comics / Divulgação

A nova Mulher-Maravilha, a brasileira Yara Flor, irá além do mundo dos quadrinhos e ganhará uma série de televisão no canal CW. A informação foi revelada pelo Deadline na segunda-feira, 16, e confirmada pela criadora da heroína, Joëlle Jones, no mesmo dia.

Segundo informações divulgadas pelo site, a produção contará a história de origem de Yara, uma brasileira que emigrou para os Estados Unidos e é filha de uma “guerreira amazona e de um deus do rio brasileiro”. Ela precisará enfrentar forças do mal após descobrir que possui superpoderes. 

A série será escrita por Dailyn Rodriguez, com Yara sendo a primeira super-heroína latina a ganhar uma série pela CW, canal que exibe produções sobre os personagens da DC Comics. As datas de estreia ou de início das gravações não foram informadas.  

Em sua conta no Twitter, Joëlle Jones compartilhou a matéria, e também anunciou que haverá “mais por vir” para Yara nos quadrinhos depois da sua estreia na HQ Future State: Wonder Woman, que deverá ser lançada em 2021. A história em quadrinhos faz parte do evento Future State, e mostrará novas versões dos heróis da Liga da Justiça em um futuro não tão distante.

Joëlle também compartilhou a arte de uma das edições de sua HQ sobre a personagem, e confirmou, após ser questionada por um seguidor, que ela inclui a Caipora, figura do folclore brasileiro que compõe a mitologia tupi-guarani.

A autora também afirmou que irá trazer aspectos do folclore brasileiro nas histórias da nova heroína, além da já tradicional presença da mitologia grega, da qual as amazonas surgiram. 

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais