'The Voice+': veja quem se apresentou no 2º dia de audições às cegas

Redação - O Estado de S.Paulo

Abadia Pires, mãe do cantor de pagode Alexandre Pires, foi a primeira dos 13 participantes a se apresentar

Segundo dia de audições às cegas do 'The Voice+' revelou mais 13 talentos.

Segundo dia de audições às cegas do 'The Voice+' revelou mais 13 talentos. Foto: Reprodução 'The Voice+' / Rede Globo (2021)

O segundo dia de audições às cegas do The Voice+ teve músicas clássicas, do rock ao forró. O programa deste domingo, 24, revelou mais 13 participantes, dos quais apenas um não viu as cadeiras se virarem para ele.

A nova versão do reality musical para pessoas com mais de 60 anos tem Ludmilla, Mumuzinho, Daniel e Claudia Leitte no corpo de jurados.

Quem abriu o dia de audições foi Abadia Pires, mãe do cantor Alexandre Pires. Aos 68 anos, ela entoou o sucesso Você Me Vira a Cabeça (Me Tira do Sério) e encantou o júri.

 

Confira a seguir trechos de todas as participações no programa deste domingo:

Após ver os quatro jurados virarem a cadeira para ela, Abadia Pires escolheu o cantor Daniel.

Mamá Motta, de 68 anos, também fez com que todos o quisessem no time depois de cantar Unchain My Heart, mas a escolhida foi Ludmilla. 

Celestina Maria, aos 79 anos, se apresentou com Cordas de Aço, sucesso de Cartola. O cantor Mumuzinho foi o escolhido por ela.

Foi com Epitáfio, da banda Titãs, que Lúcia de Maria fez virar todas as cadeiras. A cantora de 66 anos foi para o time de Ludmilla.

Em seguida, o cantor Mário Figueiredo, de 61 anos, cantou Sympathy For The Devil, música dos Rolling Stones, e entrou para o time de Claudia Leitte. Após a apresentação, ele falou do filho Pedro Novas, que esteve no The Voice em 2014 e se apresenta como drag queen.

"O meu filho já se apresentou aqui, em 2014, a Denna Love. Ele se apresentou como uma drag queen. Ele é exemplo de inteligência, de integridade e de coragem por subir nesse palco daquele jeito e cantar como cantou. Estava tremendo de medo porque tinha que honrá-lo", disse o participante.

Leila Maria, de 64 anos, cativou os jurados com Night And Day e escolheu o técnico Mumuzinho.

Aos 64 anos, a carioca Dulce Borges cantou Fullgás e escolheu o time de Ludmilla.

The Days Of Wine And Roses, de Frank Sinatra, foi a música escolhida por Carlos Miziara, de 73 anos, para se apresentar. Todos os jurados viraram as cadeiras e ele foi para o time de Daniel.

Criada no samba, Tia Elza encantou com Não Deixe O Samba Morrer e entrou para o programa no time de Ludmilla.

Celso Galvão foi o único participante do dia para quem nenhum jurado virou a cadeira. Porém, todos elogiaram o talento do cantor de 62 anos, que apostou em Rocket Man (I Think It´S Going To Be A Long, Long Time), de Elton John.

No ritmo do forró, Ceiça Moreno, de 74 anos, cantou e tocou sanfona no palco do The Voice+ com Qui Nem Jiló, sucesso de Luiz Gonzaga. Um internauta chegou a compará-la, brincando, com Lucy Alves, que participou do programa em 2013. Ceiça foi para o time de Claudia.

Sangue Latino foi a canção escolhida por Jorge Darrô, de 64 anos, para se apresentar na atração e fazer com que todas as cadeiras virassem. O cantor escolheu o técnico Daniel.

Para encerrar o segundo dia de audições às cegas, Miracy de Barros, de 82 anos, cantou Quando Te Vi (Till There Was You), e todos os jurados a quiseram em seus times. A escolhida foi Ludmilla.