Roteirista explica motivo de Shun ser mulher em novo 'Cavaleiros do Zodíaco': 'O mundo mudou'

Redação - O Estado de S.Paulo

Série que estreará na Netflix em 2019 traz grandes mudanças em relação ao anime que fez sucesso no Brasil na década de 1990

Personagem Shun em nova série 'Cavaleiros do Zodíaco' na Netflix.

Personagem Shun em nova série 'Cavaleiros do Zodíaco' na Netflix. Foto: Twitter / @NetflixBrasil

O clássico anime Os Cavaleiros do Zodíaco ganhará uma nova série na Netflix e teve seu trailer revelado no último domingo, 10. O personagem Shun de Andrômeda, um homem na série original, será representado como uma mulher na nova animação e tem dado o que falar.

Em resposta a diversas perguntas que vem recebendo sobre o fato, o roteirista Eugene Son falou sobre a mudança em seu Twitter.

"Quando começamos a desenvolver essa nova série, queríamos mudar muito pouco. Os principais conceitos de Saint Seiya que a fizeram ser amada continuam fortes. A maioria deles se mantém firmes mesmo trinta anos depois."

"A única coisa que me preocupava: os cavaleiros de bronze com o Pegasus são todos caras. A série sempre teve personagens mulheres fantásticas e fortes, e isso reflete no grande número de mulheres que são abaixonadas pelo mangá e pelo anime. Mas 30 anos atrás, um grupo de homens lutando para salvar o mundo sem nenhuma mulher por perto não era grande coisa. Esse era o padrão até então."

Personagens de 'Cavaleiros do Zodíaco' em nova versão para série da Netflix.

Personagens de 'Cavaleiros do Zodíaco' em nova versão para série da Netflix. Foto: Twitter / @NetflixBrasil

"Hoje o mundo mudou. Garotos e garotas trabalhando lado a lado é o padrão. Nós somos acostumados a ver isso. Certo ou errado, o público pode interpretar uma equipe só de homens como nós tentando tomar um posicionamento sobre algo."

Em seguida, Eugene explicou que já havia diversas personagens femininas na trama, como Saori (que agora será chamada de Sienna), mas ficaram em dúvida entre dar-lhes poderes e transformá-las em cavaleiros de bronze ou criar uma nova personagem para tal.

"Mas eu não queria criar uma nova personagem mulher que seria óbvia - especialmente se ela não fosse criada naturalmente, e não tivesse personalidade alguma além de 'ser a garota'", continuou.

O roteirista afirma que a equipe passou a trabalhar em um personagem "maravilhoso", Shun de Andrômeda, para que se tornasse Shaun de Andrômeda: "O conceito principal de Andrômeda não vai mudar. Ela usar suas correntes para defender a si mesma e a seus amigos - o que ela aprendeu de seu irmão protetor, que a ensinou a lutar."

VEJA TAMBÉM: Desenhos que ganharam versões live-action

Reprodução de cena 'Death Note' / Netflix
Ver Galeria 24

24 imagens

"Mas eu sabia que isso seria controverso. Não vejo isso como uma mudança de personagem. O Shun de Andrômeda original continua sendo um grande personagem. Mas é uma nova interpretação. Um outro ângulo." 

"Se você pensa que isso é estranho e não gosta, eu entendo. Se você odeia isso (e a mim) e diz: 'Essa nova série não é para mim', sem problemas, eu entendo. Aprecio sua paixão por Cavaleiros do Zodíaco."

Eugene ainda citou a mudança de gênero de um personagem da série Battlestar Galactica, que assistia quando criança: "Eu achei que era estranho. Mas assisti e amei. Uma maravilhosa personagem e uma nova interpretação."

Eugene também explicou o motivo de alguns personagens terem seus nomes mudados em relação à série original.

"Isso foi feito antes de eu me juntar [ao projeto]. Havia a pergunta do porquê de personagens da China, Europa e América do Sul terem nomes japoneses. Então entre Toei e Kurumada, eles escolheram atualizar o nome de alguns personagens."

Confira o trailer de Saint Seiya: Cavaleiros do Zodíaco, que estreará na Netflix em 2019.