NatGeo lança documentário com tecnologia que reduz consumo de energia

Redação - O Estado de S.Paulo

'Os EUA e as Mudanças Climáticas do Planeta' tem uma resolução que pode diminuir em até 54% a energia utilizada em algumas televisões

Flooding from Hurricane Harvey. (Getty Images/iStockphoto)

Flooding from Hurricane Harvey. (Getty Images/iStockphoto) Foto: 'Os EUA e as Mudanças Climáticas do Planeta'/National Geographic/Reprodução

National Geographic lançou no último domingo, 16, o documentário Os EUA e as Mudanças Climáticas do Planeta com uma novidade: a resolução utilizada permite diminuir a quantidade de energia consumida pela televisão enquanto se assiste ao filme.

Denominada Green Definition, a tecnologia desenvolvida pelo canal conversa com o documentário, que explora o impacto socioeconômico que a mudança climática e os desastres naturais produzem em nosso planeta.

Segundo a plataforma, a resolução tem a capacidade de diminuir em até 54% a energia utilizada em algumas televisões.

Os EUA e as Mudanças Climáticas do Planeta é o primeiro documentário com essa tecnologia lançado na América Latina. O filme, que terá reprise no próximo sábado, 22, às 21h45, foca no debate sobre o futuro energético dos Estados Unidos desde que o presidente Donald Trump anunciou a saída do Acordo de Paris.

O documentário explora o impacto socioeconômico, real e tangível, dos desastres que são gerados por causa da mudança climática. A produção mostra os esforços da população que luta contra esse problema no país, especialmente nas zonas que foram devastadas por desastres naturais como Porto Rico, Califórnia e Flórida.

O filme foi dirigido e produzido por Sidney Beaumont, ganhador de prêmios Emmy, e Michael Bonfiglio, cineasta indicado a prêmios Emmy. Os produtores executivos são Joe Berlinger, cineasta indicado a prêmios Oscar, e Jon Kamen e Katherine Oliver, da Bloomberg Philanthropies.

Green Definition

As televisões utilizam entre 5% e 8% da eletricidade residencial do mundo. Segundo a ONG Implementação de Equipes e Aparelhos Supereficiente, (SEAD na sigla em inglês), isso equivale a 168 terawatt-hora de uso de eletricidade por ano, o que produz 27 megatons de emissões de dióxido de carbono.

Sem descargas nem aplicações especiais, essa resolução oferece ao espectador a oportunidade de poupar energia simplesmente assistindo à televisão.

A National Geographic desenvolveu um filtro que desliga a metade dos pixels da televisão ligada, o que gera para os telespectadores a ilusão de uma imagem ligeiramente menos exposta e que é perfeita para ser transmitida durante a noite.