Mulheres são sub-representadas nos principais trabalhos de animação, diz estudo

Agência - AP

Nos últimos 12 anos, apenas 3% dos diretores de filmes de animação eram do grupo feminino

Jennifer Yuh Nelson, diretora de 'Kung Fu Panda 2'.

Jennifer Yuh Nelson, diretora de 'Kung Fu Panda 2'. Foto: Phil McCarten/Reuters

As mulheres compõem cerca de metade de todos os executivos em animação, mas um estudo divulgado nesta segunda-feira, 10, afirma que os números caem significativamente quando se trata de diretoras e outros papéis de liderança no setor.

O estudo da USC Annenberg Inclusion Initiative e do grupo de defesa Women in Animation disse que nos últimos 12 anos, apenas 3% dos diretores de filmes de animação eram mulheres e apenas uma, a diretora do Kung Fu Panda 2, Jennifer Yuh Nelson, era uma mulher de cor.

Em algumas áreas, como na produção, a animação tem uma representação feminina melhor do que em filmes live-action. O estudo descobriu que as mulheres representam 37% da equipe de produção dos 120 filmes de animação pesquisados desde 2007. Em live-actions, elas são cerca de 15% dos produtores.

"A proporção de mulheres nesse papel de liderança em animação e o progresso feito na última década indicam que há espaços em que a indústria está levando a inclusão a sério e promovendo mudanças", disse a diretora da iniciativa, Stacy L. Smith, em um comunicado.

As mulheres também compuseram 13% das direções de programas de televisão animados populares de 2018. Mas as mulheres de cor foram sub-representadas em todas as áreas.

O grupo feminino também é superado em cargos como de chefes de roteiro, líder de animação e diretores de arte, segundo o estudo.

Na frente das câmeras, apenas 20 das 120 principais produções de animação dos últimos 12 anos tinham uma liderança ou coliderança feminina. Desses, três tinham uma mulher de cor como protagonista: Moana, A Princesa e o Sapo e Smurfs: The Lost Village.

Marge Dean, presidente da Women in Animation, diz que uma melhor compreensão dos números ajudará a indústria a alcançar a equidade de gênero até 2025.