Monique Alfradique representa o brasileiro otimista e patriota em nova série

Sara Abdo - Especial para o Estado de S.Paulo

Atriz é a protagonista de A Secretária do Presidente, série de 15 episódios sobre relações humanas e amadurecimento

Foto:

De perfil cômico, a série A Secretária do Presidente estreia no Multishow na próxima terça-feira, 15, às 23h15. Protagonizada por Monique Alfradique, que está em sua terceira atuação em projetos do canal, a trama conta a trajetória de uma jovem de 20 anos, a Ilde, que sonha em ser secretária do presidente do Brasil. Ela se muda para Brasília e começa um processo de amadurecimento.  

 

Embora se passe na capital do País, a política é um mero pano de fundo. Segundo Monique, o foco da trama são as relações humanas. “A série conta a história da Ilde, com suas fases boas, decepções e alegrias”. A protagonista é uma jovem mulher do interior do Rio de Janeiro que ainda é imatura, ingênua e sem malícia, apesar de bem resolvida. “A Ilde ainda não é mulher”, conclui Monique sobre a primeira fase de sua personagem.

 

Ao longo dos 15 episódios já gravados, a protagonista se dá conta que se envolveu em tramóias do trabalho, mesmo sem querer. No decorrer da história, a diferença de comportamento é muito explícita em detalhes, como, por exemplo, o figurino. Aos poucos Ilde ganha malícia e fica mais atenta. O processo é consequência das percepções de mundo, que começam a mudar a partir de novas questões profissionais e pessoais. “É o mesmo processo de qualquer jovem em amadurecimento, como pessoa e como mulher”, diz Monique.

 

O humor da série é bem diferente do que o Multishow tem feito, segundo análise da própria atriz, que também atuou em A Segunda Vez e Partiu Shopping, no mesmo canal. “É um humor europeu e sem improviso, com olhar muito atento e refinado, que prioriza as sutilezas das situações”. O humor está sustentado pelo temperamento e personalidade de Ilde, que é arisca, destemida e, no início da série, ainda acredita em tudo o que lhe dizem.  

Foto:

Recentemente houve movimentação de rechaço à série no Linkedin. Secretárias se juntaram para questionar o roteiro de A Secretária do Presidente, acusado de reforçar o estereótipo de envolvimento extra-profissional e sexual, frequentemente associado à função do secretariado feminino. Quanto a isso, Monique nega a relação. “A Ilde não define nenhuma profissão”.

 

Segundo a diretora Julia Jordão e Monique, por trás do sonho de ser secretária do presidente da República está o patriotismo e otimismo com o futuro da nação, sensações comuns a tantos brasileiros. Além dessa representação, a série também conta a história de uma jovem empolgada com a política e que sempre sonhou ir para a cidade grande. Brasília é uma espécie de libertação para Ilde, que aos poucos vai se distanciar das repressões da mãe.

 

Foram quatro meses de gravações, desde o preparo dos personagens, ensaios e até o último dia de set. No elenco também estão Leona Cavalli, Patricya Travassos, Bento Ribeiro. O texto é de Emilio Boechat, com direção de Julia Jordão.