'#MeChamaDeBruna' retrata primeiros anos da carreira de Bruna Surfistinha

Hyndara Freitas - O Estado de S.Paulo

Série é protagonizada por Maria Bopp, novata no mundo da atuação

#MeChamaDeBruna retrata primeiros anos da carreira de Bruna Surfistinha.

#MeChamaDeBruna retrata primeiros anos da carreira de Bruna Surfistinha. Foto: Divulgação/FOX

Esqueça o livro e o filme de Bruna Surfistinha, pois #MeChamaDeBruna, que estreia neste sábado, 8, na Fox+ Premium, pretende mostrar lados desconhecidos da ex-garota de programa. Enquanto os trabalhos anteriores tinham proposta de biografia, a série foca apenas nos dois primeiros anos de prostituição de Bruna.

Se no longa Deborah Secco viveu a personagem com maestria, aqui quem dá vida a Raquel Pacheco, que virou Bruna, é Maria Bopp. O nome pode soar desconhecido para a maioria, e com razão: esse é seu segundo trabalho como atriz.

O primeiro foi em 2011, na série Oscar Freire 279, exibida pelo Multishow, com um papel coadjuvante. Até então, a estudante de cinema nunca havia feito um curso de interpretação e havia trabalhado apenas como figurante. Por conta deste trabalho, conheceu Marcia Faria, diretora da série.

Cinco anos depois, Marcia falou para Maria sobre #MeChamaDeBruna, sua nova criação, e a aconselhou a fazer o teste. "Hesitei um pouco em fazer o teste porque estava enferrujada como atriz, não atuava desde 2011 e achava muito improvável eu passar", disse a atriz em entrevista ao E+. Mas o incerto se efetivou e ela foi eleita a nova Bruna.

Junto à inexperiência, dar vida a uma personagem que já foi interpretada por uma atriz consagrada poderia causar insegurança e pressão, mas Maria garante que isso não aconteceu justamente pela diferença dos trabalhos.  "Gosto muito do filme e acho que a Deborah fez um trabalho incrível, enquanto ela é um mulherão, uma atriz experiente, esse é meu segundo trabalho. Mas a série tem uma proposta diferente do filme. Enquanto o filme faz uma biografia de toda a trajetória da Bruna, a série faz um recorte, dos 17 aos 18 anos, se prostituindo. Eu não me senti pressionada."

A série busca reproduzir a transformação de Raquel na ex-garota de programa mais conhecida do País. Já no primeiro capítulo, o telespectador conhece o privê de Stella, onde a paulistana de classe média que fugiu da casa dos pais vai buscar por trabalho. Em menos de dez minutos, as cenas de nudez aparecem, sem sutilezas. Para a atriz, ficar nua em frente às câmeras não foi um problema e, por isso, não houve dublês em nenhum momento. Conforme Raquel se descobre e se liberta, num mundo que oprime, ela se destaca no meio e descobre sua vocação.

Maria Bopp, que dá vida a Bruna na série, diz que não teve problemas em fazer as cenas de nudez. 

Maria Bopp, que dá vida a Bruna na série, diz que não teve problemas em fazer as cenas de nudez.  Foto: Divulgação/Fox

Mas engana-se quem espera por mais uma obra de glamourização desse universo: a diretora idealizou a série com boas doses de realidade e pretende provocar discussões sobre as dificuldades desse mundo, o machismo, o abuso, as escolhas e a falta delas. "O principal que a série traz de diferente é que tem uma diretora mulher condizindo esse projeto. Tem um olhar mais maduro a esse assunto, não só em relação ao filme, mas em relação a todas as produções audiovisuais do mundo que tentam glamourizar a prostituição. A série vai levar a visão da mulher sobre o assunto", opina Maria.Entre as cenas de destaque, está o momento em que Bruna sofre uma tentativa de estupro. A cena demorou quase um dia inteiro para ser gravada, e Maria revela que a dificuldade em fazê-la foi justamente sua semelhança com a realidade de muitas mulheres. "Essa foi definitivamente a cena mais difícil de fazer, porque é uma cena de violência mesmo, é um problema que acontece com muitas garotas de programa e as pessoas acham que não. Como elas são pagas por um cliente, todos acham que elas devem fazer tudo o que eles querem, então foi difícil fazer essa cena porque era um abuso, a Bruna não estava nem um pouco confortável nessa situação."

Para entrar no personagem, Maria precisou da ajuda da inspiração. O encontro delas se deu de uma maneira curiosa: as duas estavam vendadas enquanto conversavam, e a atriz fez várias perguntas à ex-garota de programa, sobre o motivo pelo qual ela decidiu entrar no mundo da prostitução, curiosidades, dificuldades. Uma hora e muitas palavras depois, elas puderam finalmente enxergar uma a outra.

"Quando tiramos as vendas foi um momento muito emocionante pra nós duas, a gente se abraçou, foi aí que caiu a ficha. Perguntei curiosidades, porque ela fez isso, como ela teve coragem de sair de casa, e depois tivemos cenas de improvisação. A produção falou para fazermos algumas cenas e para a gente improvisar as falas, e, algumas frases que a Raquel falou entraram no roteiro depois", contou a atriz.

#MeChamaDeBruna será transmitida somente no FOX+ Premium, o FOX1, e estreia neste sábado, 8 de outubro, às 22 horas. São oito episódios, com uma hora de duração cada um, exibidos sempre aos sábados.