Há 14 anos, Pedro e Bino organizavam bloqueio em estrada na TV

Redação - O Estado de S.Paulo

Lembrados nas redes sociais durante a greve dos caminhoneiros, dupla de 'Carga Pesada' liderou movimento semelhante em episódio de 2004; relembre

Bino (Stenio Garcia) e Pedro (Antonio Fagundes), durante as gravações da segunda versão de 'Carga Pesada', que foi ao ar entre 2003 e 2007. A versão original do programa foi exibida entre 1979 e 1981.

Bino (Stenio Garcia) e Pedro (Antonio Fagundes), durante as gravações da segunda versão de 'Carga Pesada', que foi ao ar entre 2003 e 2007. A versão original do programa foi exibida entre 1979 e 1981. Foto: João Miguel Júnior / Globo / Divulgação

Há seis dias, o Brasil vive a greve dos caminhoneiros, que tem afetado diretamente inúmeros serviços. Nas redes sociais, usuários criaram memes associando a situação da vida real aos personagens Pedro e Bino, caminhoneiros vividos por Antonio Fagundes e Stênio Garcia na série Carga Pesada.

+++ AO VIVO: Acompanhe a cobertura em tempo real da greve dos caminhoneiros

Curiosamente, no dia 28 de maio de 2004, há praticamente 14 anos, ia ao ar um episódio  em que a dupla foi responsável por mobilizar um bloqueio em uma estrada, clamando por seus direitos.

O capítulo Estrada.com.br começa com Pedro dirigindo devagar, desviando de buracos em uma estrada federal. Em vão: um pneu de seu caminhão acaba ficando preso em um deles, o que o obriga a esperar por ajuda.

Após algumas horas, encontra Ademir (André Mattos), colega que passava pelo local e lhe promete ajuda. Durante a noite, é a vez de o próprio Bino, que não estava com o amigo até então, aparecer no local. 

Os personagens Pedro e Bino em cena de 'Carga Pesada'.

Os personagens Pedro e Bino em cena de 'Carga Pesada'. Foto: Márcio de Souza / Globo / Divulgação

Enquanto os personagens se revoltam com a demora de agentes rodoviários para lhe prestar assistência, conhecem o caminhoneiro Fofão (Ernesto Piccolo). Quando o mecânico Cirilo (Leandro Firmino, o 'Zé Pequeno' de Cidade de Deus) finalmente chega para guinchá-los, Pedro toma uma postura radical e, com a ajuda do caminhão de Fofão, paralisa a via.

"Vou bloquear essa estrada aqui e ninguém passa. Só vou sair daqui depois que a televisão chegar", brada. Bino, seu companheiro, discorda: "Isso aí não leva a nada, não vai resolver problema nenhum. Saiba que sou contra, as coisas não se resolvem desse jeito."

Na ocasião, a reivindicação do trio era por melhores condições de segurança em estradas. Em algum tempo, uma fila quilométrica de carros, caminhões e ônibus acaba se formando, gerando a ira dos motoristas - que sequer entendem a motivação para o bloqueio.

Uma equipe de reportagem aparece de helicóptero para entrevistar Pedro, o líder da manifestação. Neste momento, o caos se instaura e um grupo liderado por um motorista revoltado com uma barra de ferro se aproxima dos apoiadores da paralisação.

VEJA TAMBÉM: Relembre outros caminhoneiros marcantes da TV

João Miguel Júnior / Globo
Ver Galeria 8

8 imagens

Bino resolve mudar de lado e sobe em um caminhão para fazer um discurso de conciliação, ressaltando a necessidade das reivindicações do colega, e buscando compreender a ira dos que estão afetados pelo bloqueio. Após o discurso, o caminhoneiro é aplaudido e os ânimos se acalmam. Porém, Fofão retira seu veículo do meio do caminho, desbloqueando a rodovia. Cobrado por Pedro, explica que tem medo de perder seu emprego.

Todos os carros presos no engarrafamento passam, deixando apenas Pedro e Bino, com seu caminhão entalado no buraco.

Por fim, Cirilo retorna ao local, agora vazio, para ajudá-los com o caminhão - e tudo segue como antes.

Caminhoneiros iniciaram paralisação em 21 de maio contra o aumento do preço do diesel; mesmo após acordo anunciado pelo governo, categoria permanece com protestos e bloqueios em rodovias pelo País.

Caminhoneiros iniciaram paralisação em 21 de maio contra o aumento do preço do diesel; mesmo após acordo anunciado pelo governo, categoria permanece com protestos e bloqueios em rodovias pelo País. Foto: Felipe Rau/Estadão

Greve dos caminhoneiros. Os protestos dos caminhoneiros continuam pelo 6º dia seguido de manifestações. Quando anunciou, na noite de quinta-feira, um acordo com lideranças dos caminhoneiros, em greve desde segunda-feira, o governo imaginava ter conseguido desmobilizar o movimento. Sexta-feira seria um dia de estradas sendo desbloqueadas e o abastecimento começando a se regularizar, mas não foi o que se viu

Com uma liderança muito difusa, o que se ouvia dos caminhoneiros parados nas estradas era que o acordo fechado com o governo não servia. Como uma possível medida para o impasse, o presidente Michel Temer acionou as forças de segurança nacionais para desbloquear rodovias

O decreto, publicado no Diário Oficial da União, autoriza o emprego das Forças Armadas no contexto da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) até o dia 4 de junho. Com isso, os militares atuarão junto às forças policiais, como a Polícia Militar (PM), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Força Nacional, na liberação das estradas. 

Acompanhe a situação em tempo real clicando aqui.

Pedro e Bino. Confira algumas reações de internautas à greve, citando a dupla: