'Girls', 'Friends', 'Sex and The City': as personagens conseguiriam pagar seus apartamentos em NY?

Redação - O Estado de S.Paulo

'The Washington Post' investigou salários e aluguéis para descobrir que as séries nem sempre retratam de forma fidedigna o poder de compra das personagens

A série Girls acabou neste domingo, 16, após seis temporadas

A série Girls acabou neste domingo, 16, após seis temporadas Foto: Cartaz de divulgação da série 'Girls'/HBO

Morar em Nova York é caríssimo - afinal, é uma cidade visada pelo mundo inteiro. Hannah Horvath conseguiria pagar seu aluguel no Brooklyn com seu salário de barista, professora e jornalista freelancer? Será que Carrie Bradshaw teria dinheiro suficiente para morar em um apartamento em Upper East Side com um closet apenas para sapatos, tendo um emprego como colunista? E Monica Geller moraria naquele apartamento maravilhoso em West Village trabalhando como chef?

A resposta você deve imaginar: não.

O The Washington Post fez uma investigação para checar se séries famosas retratam de forma fidedigna o poder de compra de suas personagens. O foco é em Girls, cujo último episódio foi exibido neste domingo, 16. Para sustentar os apontamentos, a publicação checou se, com o salário delas, seria possível viver em Nova York. 

Girls. Hannah Horvath, a protagonista de Girls, não conseguiria viver no Brooklyn. O apartamento de dois quartos, apesar de ser de fato pequeno, custaria entre 2,2 mil dólares/mês e 3 mil dólares/mês. No entanto, a própria Hannah afirma, em um episódio da série, que o salário de uma jornalista freelancer alcança por volta de 24 mil/ano (ou seja, 2 mil dólares/mês). 

Shoshanna Shapiro, uma estudante de marketing na New York University, apenas conseguiria morar em seu estúdio em Manhattan com a ajuda dos pais. Apesar de ela dividir o apartamento ao longo da série com a prima, Jessa Johansson, ainda assim seria difícil cobrir os custos. Segundo o The Washington Post, o aluguel de um estúdio na região custa entre 2 mil dólares/mês e 2,5 mil dólares/mês. No entanto, mesmo após voltar do Japão, Shoshanna não teria um grande salário no início de uma carreira em marketing - o jornal estima 2,1 mil dólares/mês, inviável para morar em Manhattan. 

Marnie Michaels é a única cujo estilo de vida condiz mais ou menos com a vida real. Em Girls, ela mora em um estúdio minúsculo em Chinatown - tão pequeno que o chuveiro fica na cozinha. Segundo o The Washington Post, o custo médio para morar na região é de 1,2 mil dólares/mês a 2 mil dólares/mês. Com um salário de assistente de galeria de arte, hostess e artista, ela dificilmente bancaria o aluguel. Mas, pelo menos, ela não mora em um apartamento cheio de luxos, como outras personagens. 

Adam Sackler é uma delas. A única renda fixa dele durante a maior parte da série vem de uma mesada da avó de 800 dólares/mês. Na maior parte da série ele não tem emprego - eventualmente, o rapaz faz bicos como ator que geralmente não dão certo. Mesmo dividindo o apartamento de dois quartos com Ray Ploshansky e, posteriormente, Jessa Johansson, seria difícil pagar o aluguel que, na vida real, varia entre 1,8 mil dólares/mês e 2,6 mil dólares/mês.

Apartamento onde vivem Monica Geller, Rachel Green e, eventualmente, Phoebe Buffay e Chandler Bing

Apartamento onde vivem Monica Geller, Rachel Green e, eventualmente, Phoebe Buffay e Chandler Bing Foto: Cartaz de dvulgação de 'Friends'/NBC

Friends. O The Washington Post aponta a casa de Monica e Rachel como a mais absurda. Localizada em West Village, a residência de dois quartos com uma sala gigantesca jamais conseguiria ser bancada por jovens com 20 e poucos anos em início de carreira. O jornal aponta que o aluguel gira em torno de 4,5 mil dólares/mês - valor alto demais para uma chef de cozinha e uma garçonete dividirem. 

'Sex and The City' é uma das séries mais famosas do começo dos anos 2000

'Sex and The City' é uma das séries mais famosas do começo dos anos 2000 Foto: Nigel Parry/Reuters

Sex and The City. Carrie Bradshaw, a jornalista freelancer viciada em sapatos de marca, nunca conseguiria viver no seu apartamento em Upper East Side na vida real. A série diz que Carrie paga 750 dólares/mês pela residência, que tem um closet apenas para roupas. Na vida real, o custo é de por volta de 2,8 mil dólares/mês - alto demais para uma jornalista.