Funcionária da CBS diz não simpatizar com vítimas de Las Vegas porque eram republicanos

Redação - O Estado de S.Paulo

Ela foi demitida após publicar no Facebook que 'fãs de música country são, frequentemente, republicanos que possuem armas'

A emissora CBS demitiu uma funcionária após ela criticar vítimas de atentado em Las Vegas.

A emissora CBS demitiu uma funcionária após ela criticar vítimas de atentado em Las Vegas. Foto: CBS/Divulgação

A emissora CBS demitiu a advogada e vice-presidente da filial de Nova York, Hayley Geftman-Gold, após ela ter criticado algumas vítimas do ataque a tiros em Las Vegas. No Facebook, ela disse que eram "portadores de armas" que não mereciam empatia.

"Se eles não fizeram nada quando crianças foram assassinadas eu não tenho esperança de que esses repugnantes vão fazer a coisa certa. Na verdade, eu sequer simpatizo com eles porque fãs de música country são, frequentemente, republicanos que possuem armas", comentou Hayley em uma publicação.

Ao ver a postagem dela, muitos internautas enviaram um print para a CBS pedindo que a emissora tomasse alguma atitude. Mais tarde, a CBS informou ao The Washingon Post que demitiu a mulher.

No último domingo, 1º, Las Vegas foi palco do maior ataque a tiros da história dos Estados Unidos. O aposentado Stephen Paddock se hospedou no 32º andar do Hotel Mandala Bay e atirou contra pessoas que estavam em um festival de música country, deixando 59 mortos e mais de 500 feridos. O atirador foi encontrado morto no quarto do hotel.