Fox gasta US$ 50 milhões com casos de assédio de seus funcionários

Redação - O Estado de S. Paulo

No último ano, diversos jornalistas e diretores da empresa foram denunciados

Jornalista Bill O'Reilly foi um dos demitidos do canal após denúncias de abuso

Jornalista Bill O'Reilly foi um dos demitidos do canal após denúncias de abuso Foto: Brendan McDermid/Estadão

Um balanço financeiro divulgado pelo grupo Fox mostrou que a empresa gastou cerca de US$ 50 milhões(quase R$ 160 milhões) por conta de casos de assédio sexual de seus funcionários somente no último ano.

A 20th Century Fox divulgou o valor nesta segunda-feira, 14, após um depósito na Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos. Os valores dizem respeito a indenizações e outros gastos jurídicos da empresa.

Nos últimos meses, diversos funcionários do conglomerado de mídia foram denunciados por práticas ligadas a abusos sexuais. Em um dos casos, o âncora Bill O’Reilly, da Fox News, chegou a ser demitido.

“Após uma longa e cuidadosa revisão das alegações, a empresa [21st Century Fox] e Bill O’Reilly entraram em um acordo, e o jornalista não retornará ao canal Fox News”, declarou a emissora em comunicado.

Além dele, o diretor Roger Ailes deixou o cargo de CEO da Fox News em julho de 2016, depois de ser acusado de agressão sexual por várias mulheres. No mês passado, o presidente nacional da Fox Sports, Jamie Horowitz, também foi demitido em meio a um escândalo de assédio.

E a lista não para por aí. Os apresentadores Charles Payne, da Fox Business, e Eric Bolling, da Fox News, também foram denunciados por abuso nas últimas semanas.

No relatório anual, a 21st Century Fox afirmou que a má conduta dos funcionários poderiam ‘impactar as operações e a gestão’ dos canais. A Fox News chegou a perder anunciantes após os casos de assédio virem à tona.

VEJA TAMBÉM: Personalidades que já se envolveram em casos de assédio ou abuso sexual