Filho de 'Seu Madruga' revela que ator devia aluguel na vida real

Redação - O Estado de S.Paulo

'O dono do apartamento, diferente do Seu Barriga, não perdoava', conta Esteban Valdés, que ressalta que 'Seu Madruga existia antes do 'Chaves''

Seu Madruga, personagem de Ramón Valdés

Seu Madruga, personagem de Ramón Valdés Foto: Reprodução de 'Chaves' (1978) / SBT

O ator mexicano Ramón Valdés marcou época no seriado Chaves, sendo querido até hoje por parte de inúmerso fãs brasileiros. Mas será que a inspiração para o personagem surgiu dele próprio?

É isso que acreditam Esteban e Miguel Valdés, respectivamente, seu filho e seu neto. 

"Seu Madruga existia antes do Chaves. Meu pai usava essas frases na família: 'Não te dou outra porque...' e 'O que foi, que que foi, que que há?!'. Ele usava essas frases com a gente, com os amigos", contou Esteban em entrevista ao The Noite que irá ao ar nesta quarta-feira, 9.

De acordo com ele, a semelhança não se restringia apenas às frases, mas também ao fato de seu pai também 'dever o aluguel': "Não foi uma vez, foram várias vezes. Antes de ser famoso, meu pai trabalhava como motorista de trailer, vendia comida na rua. Vivíamos em um apartamento e de repente ele falava: 'Vamos para a casa da sua avó'. Porque o dono do apartamento, diferente do Seu Barriga, não perdoava."

Miguel, Esteban e Danilo Gentili segurando um retrato de Ramón Valdés, o Seu Madruga

Miguel, Esteban e Danilo Gentili segurando um retrato de Ramón Valdés, o Seu Madruga Foto: SBT / Divulgação

Os dois falaram a respeito do documentário que está sendo feito sobre a vida de Ramón: "No começo desse projeto, não achávamos que ele fosse crescer tanto. A grande motivação de terminar aqui no Brasil é justamente por ser o lugar onde as pessoas mais gostam dele."

Miguel complementou o pai: "Estamos encantados com o público brasileiro. Não somos o Seu Madruga, mas a gente recebe esse amor."

Miguel também relatou como o ator era um avô atencioso: "Me lembro do cheiro dele, lembro de quando ele me beijava, parecia uma foca me beijando, porque ele tinha um bigode molhado. Era bonito e estranho ao mesmo tempo, mas tinha muito amor."

"Esse trabalho trouxe muitos sentimentos à flor da pele de amor, saudade, porque já faz 30 anos que ele faleceu", complementou Esteban.

A entrevista irá ao ar nesta quarta-feira, 9, no The Noite, no SBT.