'Fera Radical': número de telefone em cena causou problemas a família da vida real em 1988

André Carlos Zorzi - O Estado de S.Paulo

Novela foi protagonizada por Malu Mader e trouxe último papel de Yara Amaral na TV antes do naufrágio do Bateau Mouche; Globoplay disponibiliza a trama a partir desta segunda, 17

Malu Mader em cena da novela 'Fera Radical'

Malu Mader em cena da novela 'Fera Radical' Foto: Globo / Divulgação

Fera Radical, que estreia no catálogo do Globoplay nesta segunda-feira, 17, trouxe a primeira protagonista vivida por Malu Mader em uma novela, em 1988.

O folhetim - que chegou a receber o nome de A Intrusa durante a sua produção - marcou o último trabalho da atriz Yara Amaral, que morreria semanas depois, no naufrágio do navio Bateau Mouche, que afundou na Baía de Guanabara no revéillon de 1988.

Na reprise, será possível rever a atriz Chica Xavier, que morreu no último dia 8 de agosto, aos 88 anos. Ela faz parte do elenco como Júlia, funcionária de Donato (Elias Gleizer) e mãe de Jaci (Daúde) e José Sebastião (Pratinha).

Confusão telefônica

A novela Fera Radical causou um problema inusitado na casa da família do empresário Janko Predovic. Em 30 de agosto de 1988, um número de telefone, escolhido ao acaso para aparecer na novela, coincidiu com o de sua casa.

Em entrevista ao Estadão na época, sua esposa, Doli Lúcia, comentava sobre a situação. Ela passou a estranhar quando pessoas ligaram à sua casa - na hora da novela - procurando por nomes como Ana Paula (personagem de Cláudia Abreu) e Olívia (Denise Del Vecchio).

"Perguntei a uma moça e ela me respondeu que o telefone era da Ana Paula, que havia sido sequestrada", relatava. Nos dias seguintes, o casal recebeu centenas de chamadas indesejadas por conta do fato. 

Eles chegaram a contatar José Américo, então advogado da Globo, que teria sugerido que tratava-se de "uma febre", para terem "paciência, pois iria passar".

A repercussão do caso de Predovic inspirou Marta Cohn, paulistana que passava por situação parecida. Em seu caso, porém, o número havia sido exibido na novela das 7, Bebê a Bordo, pouco antes, no mês de julho.

Marta pediu à Telesp que alterasse seu cadastro, no que foi atendida. Porém, ela era detentora do número 815-8585, que, por conta da repetição, era valorizado nas bolsas de telefone por um preço acima da média. Também ficou no prejuízo por conta de ligações interurbanas atendidas por seus filhos.

Problemas envolvendo números telefônicos exibidos em novelas não eram uma novidade. Na primeira telenovela diária da história do Brasil, 2-5499 Ocupado, um homem da região sul precisou mudar o número de seu telefone, já que era justamente o mesmo do título, o que lhe rendia inúmeras ligações indesejadas.

Fera Radical

Fera Radical foi ao ar entre 28 de março e 19 de novembro de 1988. A trama chegou a ser reprisada no Vale a Pena Ver de Novo no fim de 1991 e início de 1992.

A novela de Walther Negrão foi inspirada na peça A Visita da Velha Senhora, de Friedrich Dürrenmatt, e trouxe uma história de vingança da protagonista Claudia (Malu Mader), que ia à cidade de Rio Novo para trabalhar na fazenda de uma família cujos donos eram suspeitos de ter matado seus pais e seus irmãos. Ela, porém, acaba desenvolvendo uma amizade com Altino (Paulo Goulart).

O elenco de Fera Radical também contou com nomes como Yara Amaral (Joana), José Mayer (Fernando), Laura Cardoso (Marta), Cláudia Abreu (Ana Paula), Carla Camurati (Marília), Raul Gazolla (Marcelo) e Chica Xavier (Júlia).