Feminismo: na estreia da nova temporada, Amor e Sexo pede igualdade e 'queima' sutiãs no palco

- O Estado de S. Paulo

Fernanda Lima, bailarinas e convidadas pediram respeito às mulheres e combate ao machismo

Décima temporada de "Amor e Sexo" teve tom feminista. 

Décima temporada de "Amor e Sexo" teve tom feminista.  Foto: Divulgação/Globo

A estreia da décima temporada do programa "Amor e Sexo", da Globo, foi feminista. No programa veiculado na noite desta quinta-feira, 26, Fernanda Lima surgiu ao palco ao som da música "Piranha", cantada por Karol Conka e Gaby Amarantos. Bailarinas e convidadas, por sua vez, "queimaram" sutiãs e pediram igualdade de gênero e respeito às mulheres.

Fernanda Lima, à frente das bailarinas, deu o tom feminista da edição logo na abertura. "Hoje vamos falar sobre nós, mulheres, que sabemos a dor e a delícia de sermos o que somos, o que vivemos e o que sentimos", disse. "Vamos esclarecer conceitos, limpar rótulos e gritar que a luta por igualdade de direitos, desde a simbólica queima de sutiãs, segue firme e forte. Para quem não entendeu, vamos ser literais", afirmou a apresentadora. 

A seguir, bailarinas e convidadas passaram a jogar sutiãs em um barril que exalava fumaça, em uma alusão à famosa queima de sutiãs que ocorreu em 1968, nos Estados Unidos, quando 400 ativistas da Women’s Liberation Movement protestaram contra a exploração da imagem da mulher no Miss America, que ocorria na cidade de Atlanta.

"Eu não mereço ser estuprada", "eu sou mulher e meu lugar é onde eu quiser", "a minha roupa curta não é um convite para você", "mulher preta não é só sexo" e "meu nome não é 'psiu'" foram algumas das frases ditas pelas mulheres do palco.

O programa também fez uma homenagem à grande Elza Soares.

Confira a abertura: