Elenco destaca importância de tramas LGBT em 'A Força do Querer'

André Carlos Zorzi - O Estado de S.Paulo

Novela, que volta em reprise a partir da próxima segunda, 21, na Globo, abordou temas ligados a gênero e sexualidade com personagens como Ivan (Carol Duarte) e Elis Miranda (Silvero Pereira)

Ivan (Carol Duarte) e Elis Miranda (Silvero Pereira), personagens de 'A Força do Querer'

Ivan (Carol Duarte) e Elis Miranda (Silvero Pereira), personagens de 'A Força do Querer' Foto: Estevam Avellar / Globo / Divulgação

A Força do Querer, novela das 9 da Globo exibida em 2017, estreia sua reprise na próxima segunda-feira, 21. Nesta quinta, 17, o Estadão participou de coletiva online com os atores Paolla Oliveira, Carol Duarte, Silvero Pereira, Emilio Dantas, Dan Stulbach e Maria Fernanda Cândido, que estiveram no elenco.

A trama abordou assuntos ligados à temática LGBT, principalmente por meio dos personagens Ivan (Carol Duarte), um homem trans, e a travesti Elis Miranda (Silvero Pereira).

Carol Duarte relembra que passou a ter mais noção do impacto de seu personagem por volta do centésimo capítulo de A Força do Querer, mas desde as primeiras questões envolvendo o gênero de Ivana, já ouvia comentários do público nas ruas.

"Como foi minha primeira novela, não tinha dimensão do que é. Teve um dia que saí na rua e as pessoas falaram: 'a Ivana é lésbica! Ela não sabe que é!', empenhadas em resolver o problema da Ivana. Pensei: 'as pessoas estão assistindo'", conta.

Em uma das cenas mais marcantes, que foi ao ar em 29 de agosto de 2017, a personagem contava à família ser trans. "A revelação da Carol me emociona só de lembrar. Simboliza muita coisa ali no processo", diz Dan Stulbach, que viveu Eugênio, pai de Ivan em A Força do Querer.

Em cena, Ivana (Carol Duarte), com Joyce (Maria Fernanda Cândido), Ruy (Fiuk), Simone (Juliana Paiva), Zu (Claudia Mello) e Eugênio (Dan Stulbach). Foto: Estevam Avellar/Globo

Em cena, Ivana (Carol Duarte), com Joyce (Maria Fernanda Cândido), Ruy (Fiuk), Simone (Juliana Paiva), Zu (Claudia Mello) e Eugênio (Dan Stulbach). Foto: Estevam Avellar/Globo Foto:

O ator também explica o que espera nessa reprise: "Acho que nosso País piorou. Se algumas pessoas tinham vergonha ou algum ressentimento em mostrar sua intolerâncias, hoje, de alguma maneira, têm orgulho em mostrar seu preconceito. Acho que a reação será ainda mais violenta".

Maria Fernanda Cândida está curiosa sobre como o público verá sua personagem, a preconceituosa Joyce, mãe de Ivan: "Achei que haveria uma reação mais crítica do público em reação a ela, e não foi bem isso que observei. Ela acabou sendo admirada."

Carol Duarte interpretou Ivana, jovem que se reconhecia como trans diante da família e passou a se identificar como Ivan em 'A Força do Querer'

Carol Duarte interpretou Ivana, jovem que se reconhecia como trans diante da família e passou a se identificar como Ivan em 'A Força do Querer' Foto: Estevam Avellar / Globo / Divulgação

Carol Duarte relembra ter recebido muitas mensagens em redes sociais, com depoimentos de garotos trans e outras pessoas afetadas pela questão, como mães e pais. "Foi um impacto, mas foi lindo, porque o público abraçou o Ivan, mesmo sem entender o que estava acontecendo", comenta.

Em outro momento, durante seu processo de transição de gênero, Ivan adotava um corte de cabelo mais curto.  "A cena do corte de cabelo dificilmente eu vejo de novo, mexe muito comigo, é muito forte. Ela vai em lugares muito profundos da personagem, e, quando a Maria Fernanda entrou, foi muito emocionante", relembra a atriz.

Silvero Pereira, por sua vez, interpretava Nonato, motorista do preconceituoso Eurico (Humberto Martins) que fazia shows artísticos como a travesti Elis Miranda. Ele relembra que, em determinado momento, pediu que o figurino da personagem fosse alterado para que tivesse uma "identidade feminina", e não necessariamente algo tão chamativo, com lantejoulas, entre outros adereços.

Silvero Pereira como Nonato fazendo seu primeiro show como Elis Miranda em 'A Força do Querer' 

Silvero Pereira como Nonato fazendo seu primeiro show como Elis Miranda em 'A Força do Querer'  Foto: Estevam Avellar / Globo / Divulgação

Sobre a reprise em 2020, comenta: "Frases foram ditas e não acho que deveriam ser ditas hoje. Mas todas as frases ditas foram muito honestas. Era o que a gente achava de ser mais possível de chegar nas pessoas e causar um questionamento".

Silvero Pereira também conta que um dia conversou com a autora de A Força do Querer, Gloria Perez, sugerindo que, já que a personagem era tão querida, deveriam matá-la na novela para o público sentir o que é o "sentimento de perda".

"A Glória falou: 'a gente não vai matar essa personagem. Não vai reproduzir o que se faz no dia-a-dia, a gente não pode fazer isso. Temos que deixar essas pessoas vivas e mostrar que elas têm que continuar vivas", relata.

O ator relembra uma cena emblemática em que é vítima de homofobia. Segundo o ator, a cena estava catalogada como "Nonato se envolve em confusão" nas plataformas da Globo. Recentemente, após avisos e reclamações, o nome foi alterado para "Elis Miranda sofre ataque homofóbico".

"A Força do Querer tem uma pauta muito séria além das questões de gênero. Por ser nordestino, tem esse lugar da xenofobia, que é muito presente. A gente tem visto recentemente essa discussão aflorada e sendo falada e sofrida", destaca Silvero.

Por fim, o ator cita outros artistas LGBT que ganharam papéis de destaque nos últimos anos, como Nany People, Glamour Garcia e Luis Lobianco.

VEJA TAMBÉM: Por que A Força do Querer deixou saudades

Estevam Avellar / Globo / Divulgação | Estevam Avellar / Globo / Divulgação | João Miguel Júnior / Globo / Divulgação
Ver Galeria 13

13 imagens