Conselheira fashion na TV, Gaby Amarantos desabafa: 'já apanhei muito'

Gabriel Perline - O Estado de S.Paulo

Cantora estreia nova temporada do 'Troca de Estilos', no Discovery Home & Health

Gaby Amarantos apresenta a segunda temporada do 'Troca de Estilos'

Gaby Amarantos apresenta a segunda temporada do 'Troca de Estilos' Foto: Divulgação/Discovery

Uma rápida pesquisa no Google aponta o enorme abismo entre a Gaby Amarantos de hoje e a de cinco anos atrás. As roupas espalhafatosas, enfeitadas com luzes de led, já não pertencem mais ao dia a dia da cantora. Em partes, segundo ela, por conta da transformação pela qual passou no programa Troca de Estilos, que ganha nova temporada no Discovery Home & Health nesta quarta-feira, 14.

Na atração, ela apresenta casos de duplas de mulheres (amigas, mães e filhas, casais, etc.) que desaprovam os estilos umas das outras. Com a ajuda de um staff estrelado, as participantes se submetem a uma repaginada no visual e saem completamente transformadas. Antes de pisar pela primeira vez no estúdio, Gaby precisou passar por uma completa reforma em seu próprio estilo.

"O stylist Rodrigo Polack conseguiu trazer sofisticação em um nível bem mais alto que na primeira [temporada], mas com a minha pegada, com brilho e exuberância", explica a cantora. "Eu me entreguei mais, deixei o Rodrigo trabalhar mais [nesta temporada], colocar as coisas em mim. Na primeira, fui um pouco mais rebelde, queriam mexer muito no meu estilo. Para mim também é uma troca, eu participo todos os dias. Cada sugestão, cada figurino que me apresentam, é algo novo para mim. Aprendi muito mais sobre moda. Falei: 'quer saber? Vou relaxar, trabalhar, vou ser uma boneca e deixar eles fazerem tudo o que eles quiserem'", disse em entrevista ao E+.

Além de mediar o processo de transformação, Gaby atua como conciliadora. Afinal, as participantes fazem desabafos reveladores e acabam magoando umas às outras ao revelarem suas reais opiniões. A cantora acredita que as pedradas que levou ao longo da carreira a ajudaram na hora de intervir em casos mais dramáticos.

"Eu apanhei muito, fui tão criticada, e sempre enfrentei as críticas negativas de uma maneira muito positiva, sempre tentando crescer", disse a cantora. "Esse manejo de lidar com isso me fez me colocar no lugar delas, entender e conseguir fazer com que houvesse um entendimento. O Troca de Estilos não é um programa de moda, é de pessoas. Estamos ali para restaurar as relações e as vidas, fazer com que aquelas mulheres saiam de lá felizes."

Gaby Amarantos em cena com as participantes do 'Troca de Estilos'

Gaby Amarantos em cena com as participantes do 'Troca de Estilos' Foto: Divulgação/Discovery

E+: Como foi gravar essa nova leva de episódios?

Gaby Amarantos: Foi muito gostoso. É um programa que eu tenho um amor gigante. Eu me senti mais madura, mais entrosada com a equipe, me senti mais familiarizada. Então foi mais fácil fazer a segunda temporada.

Houve algo que você percebeu que não funcionou na primeira temporada?

Tem várias coisas. Eu assisti várias vezes todos os episódios. Percebi qual cabelo ficou legal, o batom que não ficou bom. Tanto que na segunda, o stylist Rodrigo Polack conseguiu trazer sofisticação em um nível bem mais alto que na primeira, mas com a minha pegada, com brilho e exuberância. Então teve, principalmente no meu visual, da primeira para a segunda. E eu me entreguei mais, deixei o Rodrigo trabalhar mais, colocar as coisas em mim. Na primeira eu fui um pouco mais rebelde, queriam mexer muito no meu estilo. Para mim também é uma troca, eu participo todos os dias. Cada sugestão, cada figurino que me apresentam, é algo novo para mim. Aprendi muito mais sobre moda. Falei: 'quer saber? Vou relaxar, trabalhar, vou ser uma boneca e deixar eles fazerem tudo o que eles quiserem'.

Depois, quando acabavam as gravações, você voltava a ser a Gaby de antes ou levava para casa algumas dicas das transformações e adotou um novo estilo para a sua vida?

Tudo faz parte da minha vida agora. Tanto que as pessoas percebem e falam: 'nossa, como você mudou, como seu estilo melhorou, mas você continua mantendo a sua essência'. Para mim, é uma imersão, uma assessoria que eu ganhei participando do programa e acompanhando as dicas dos especialistas para as participantes. Ficava ali, prestando atenção. Aprendi muito. Hoje rolou uma coisa engraçada, estava vendo as fotos do meu início de carreira...

Eu lembro que te entrevistei na primeira SPFW que você foi. Você estava com uns luminosos em volta do corpo...

Olha a mudança! Saia de led, porque eu misturava tudo. Botava salto para ir na padaria. Era um carnaval o ano inteiro (risos). Tenho muito orgulho, mas eu errei muito. E esses erros me fizeram aprender. Então, hoje, consegui entender que cada ocasião requer um estilo, e eu quero brincar com isso, não é algo que me preocupa. Gosto dos meus brilhos, minha exuberância, mas eu olhei umas fotos e vi umas maquiagens, cabelo, roupas... caramba, que bom que evoluí. É uma diferença brutal.

E seu figurino de show acabou mudando por conta do programa?

O programa me trouxe uma consciência para o meu figurino de show. Eles mudaram. Continuam glamurosos, mas eu acredito que eu tinha coisas que chocavam muito, eram esquisitas. Antes, achava incríveis. Hoje eu olho e falo: 'como eu pude usar um negócio desse?'. Mas eu tinha uma liberdade que era meio ingênua, eu não tinha nenhuma assessoria. Hoje, o meu figurino de show é muito diferente. E, nas redes sociais, as pessoas comentam. Sempre quis ser acessível, de as mulheres olharem e dizerem: 'quero usar um vestido de brilho como esse', ou 'quero usar um led'. Queria ser acessível e hoje eu começo a colher os frutos disso. Eu me sinto muito mais bonita depois do Troca de Estilos.

O maquiador Sadi Consati, a consultora de estilo Lolô Ascar e o cabeleireiro Denny Azevedo são os responsáveis pelas transformações das participantes do 'Troca de Estilos'

O maquiador Sadi Consati, a consultora de estilo Lolô Ascar e o cabeleireiro Denny Azevedo são os responsáveis pelas transformações das participantes do 'Troca de Estilos' Foto: Divulgação

Além da questão dos figurinos, o programa tem muito drama em seu enredo. Rolam uns atritos entre as participantes. Aí entra a Gaby psicóloga, apaziguadora. Em que momento nasceu esse seu lado de conciliadora?

Eu acho que as minhas experiências de vida, sabe? Eu apanhei muito, fui tão criticada, e sempre enfrentei as críticas negativas de uma maneira muito positiva, sempre tentando crescer. Mas quando eu apareci no cenário musical, as pessoas reclamavam muito, perguntavam: 'como essa mulher pode fazer sucesso?', 'deve ter dado para algum diretor da Globo'... já ouvi absurdos e a minha forma de lidar com isso foi sempre prestando atenção em quem gostava de mim e do meu talento. Esse manejo de lidar com isso me fez me colocar no lugar delas, entender e conseguir fazer com que houvesse um entendimento. O Troca de Estilos não é um programa de moda, é de pessoas. Estamos ali para restaurar as relações e as vidas, fazer com que aquelas mulheres saiam de lá felizes, se redescobrindo. A minha redescoberta também me fez entender melhor o lado delas. Até virei amiga de algumas.

Você mantém contato com as participantes?

Com várias. Tem uma menina que é rapper. Ela usa perucas, e eu dei para ela umas cinco perucas. Tem uma outra que é linda, modelo, a gente fica trocando figurinhas pelas redes sociais. Fiz amizade com várias, de ir em eventos que elas organizam. Gosto de ser uma artista acessível. 

Um dos episódios desta temporada terá um casal transgênero. Como foi essa experiência?

Esse dia foi intenso. É algo tão complicado de entender. E que coragem do canal explicar para as pessoas que existe um homem preso no corpo de uma mulher, e uma mulher no corpo de um homem. Eu fiquei caladinha [na gravação], ouvindo, e tentando absorver o máximo. Foi um programa muito emocional, mas um casal lindo. Acima do relacionamento amoroso, havia uma grande amizade. Todos choramos no final. Muita gente que vai assistir vai aprender o que passa por dentro da cabeça dessas pessoas.

Como é esse casal?

É um homem que nasceu como mulher, e uma mulher que nasceu como homem. A mulher tem as costas largas, foi difícil encontrar roupas exatas para ela. É muito diferente. E essas duas pessoas se apaixonaram. E isso é demais.

Como você define esta temporada?

Uma coisa muito importante que as pessoas vão perceber é o 'up' que o programa deu. Tudo melhorou muito. Está mais bonito, emocionante, tem outros casais com boas histórias, e as questões humanas são mais abordadas.