Bela Gil viaja o Brasil para mostrar tradições locais e lideranças femininas

Redação - O Estado de S.Paulo

Culinarista conhece pajés, apresenta cultura de diferentes etnias ao público e mostra que saúde e bem-estar não se restringem aos costumes urbanos

Bela fez Nutrição na Hunter College, em NY

Bela fez Nutrição na Hunter College, em NY Foto: Felipe Rau

Ser saudável vai além dos métodos fitness e de boa alimentação que muitos estão acostumados nas grandes cidades. Para provar isso, a chefe de cozinha natural Bela Gil, que apresenta o programa Bela Cozinha no GNT, está viajando pelo País para descobrir métodos medicinais de comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas. O objetivo é explicar como o preparo dos alimentos e a escolha dos ingredientes interferem na saúde das pessoas.

A iniciativa será exibida no canal Futura e faz parte da série documental Bela Raízes de 13 capítulos de 13 minutos, na qual a gastrônoma é protagonista. Bela está conhecendo pajés, curandeiras, raizeiras e lideranças femininas que mantêm tradições vivas. No último domingo, 19, ela publicou em seu perfil no Instagram uma foto com a pajé Bimi e a família de etnia Caxinauás, encontrada no leste do Peru, no Acre e sul do Amazonas.

O lançamento da primeira temporada está previsto para abril de 2019 e o seriado se passa em Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória, Salvador, Brasília, Goiás e Acre.

Enquanto não estreia, Bela compartilha algumas de suas experiências nas redes sociais. No começo do mês, por exemplo, ela esteve na comunidade quilombola Kalunga, onde experimentou, nas águas de uma cachoeira, um sabão medicinal feito com sementes da árvore Tingui. "[Ele] é bom para queda de cabelo, irritações na pele, micose, coceiras e ainda é esfoliante", escreveu a culinarista.

 

LEIA TAMBÉM: 7 vezes em que Bela Gil se mostrou uma pessoa de outro mundo

Reprodução/Instagram
Ver Galeria 7

7 imagens