BBB 20: Irmão afirma que Daniel tem transtorno de déficit de atenção

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

‘Estamos expondo pois as pessoas não conseguem entender o porquê ele é tão desligado’, comentou uma publicação realizada na conta do participante

O participante Daniel Lenhardt, do 'Big Brother Brasil' 20

O participante Daniel Lenhardt, do 'Big Brother Brasil' 20 Foto: Victor Pollak / Globo / Divulgação

O participante Daniel, do Big Brother Brasil, tem sido alvo de críticas nas redes sociais por constantemente levar punições, em especial por esquecer de colocar o microfone. Mas no sábado, 7, o irmão do ator falou sobre o que poderia estar por trás dessas punições.

Tomás Lenhardt, irmão mais velho de Daniel, alegou que o participante possui transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), que teria sido diagnosticado clinicamente. Ele falou sobre o assunto em uma entrevista para o UOL, e no mesmo dia foi adicionada uma publicação na conta de Instagram de Daniel que reafirmou a revelação.

“O que ele tem é um déficit de atenção e isso o faz sofrer muito”, comenta a publicação. O TDAH envolve dificuldade para manter atenção em algo, hiperatividade e impulsividade. Ainda no texto da publicação é explicado que os responsáveis pela conta decidiram fazer a revelação para que as pessoas possam entender “porque ele é tão desligado”. 

O irmão também comentou na entrevista que Daniel havia pedido o sigilo da família quanto ao tema, mas eles julgaram necessário falar sobre, e também que ele não sabe se o participante comentou sobre o TDAH com a produção do BBB.

O participante já recebeu punições, por exemplo, por esquecer de colocar o microfone, usar copos não permitidos em festas e guardar comida que não foi comprada pelos participantes. As punições envolvem a perda de estalecas, as moedas usadas no BBB para compra de comida, e muitas pessoas criticam o fato de Daniel constantemente levar punições mas não receber nenhum voto ou mudar o comportamento.

“Quem sabe a passagem do Daniel no BBB sirva para que as pessoas que têm esse tipo de problema sejam menos julgadas por erros que cometem involuntariamente”, conclui a publicação, que também conta com a hashtag “não podemos discriminar pessoas com déficit de atenção”.

A revelação foi feita dois dias após surgir uma polêmica no Twitter com algumas pessoas supondo que o particpante teria TDAH, enquanto outros discordaram da hipótese. 

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais