Ashton Kutcher fala de sua nova comédia do Netflix

Kathrym Shattuck - The New York Times

Em 'The Ranch', o ator revive parceria com Danny Materson; juntos, eles haviam trabalhado no sucesso 'That 70's Show'

Há cerca de 10 anos, Ashton Kutcher e Danny Materson deixaram seu grupinho de fumo bem afinado em 'That '70s Show'. Agora , eles voltam juntos como irmãos, num mundo de tensões familiares e celeiros mal conservados, na série 'The Ranch', uma nova comédia do Netflix criada por Don Reo e Jim Patterson, os produtores executivos de "Two and a Half Men".

Kutcher é Colt, quarterback do time do colegial que se torna semiprofissional. Amante de festas, acaba voltando para a casa da família financeiramente falida, no Colorado, depois de uma longa ausência, e decide trocar a bola de couro pelas vacas. Masterson é Rooster, o irmão mais velho relativamente ignorado que substituiu Colt 15 anos antes como o filho nem tão de ouro da família. Sam Elliott é o pai, Beau, um tipo vaqueiro anti-PC que usa o amor como arma. E Debra Winger é a mãe, Maggie, que viaja entre o Airstream atrás do seu bar e a cama do marido cabeça dura.

"Danny foi um dos meus primeiros amigos lá fora, e nós continuamos muito próximos durante todos estes anos", disse Kutcher, ligando de los Angeles, onde mora com a mulher, Mila Kunis - outra saída do '70s Show' - e sua filha de 18 meses, Wyatt Isabelle. "Até nossos filhos são amigos. Para o público é uma reunião, mas para nós é apenas mais um trabalho". Abaixo, estão alguns trechos da conversa.

 

  Foto: Divulgação

Fale sobre Colt

Colt é um cara que tinha todo o talento do mundo e que achou que tinha tudo para ser um sucesso, mas não teve disciplina nem ética de trabalho para chegar lá. Em público, ele demonstra a confiança de um herói de uma cidadezinha de interior. A carreira de jogador de futebol americano durou 15 anos e agora só lhe resta lamentar. Por isso, decide voltar para casa.

Por que Danny e por que um rancho?

Danny e eu queríamos trabalhar juntos de novo, mas nossas agendas nunca combinavam, até que eu saí de "Two and a Half Men". Então decidimos nos concentrar numa cidadezinha conservadora, agrícola do centro-oeste americano, e numa família que tenta manter o rancho vivo, e colocamos este tipo de personagem no centro da história. Em vez de fazer graça com a visão de mundo deste público, decidimos dialogar com ele e com sua fé em Deus e no país. E percebemos também que teria de ser algo realmente local.

O que acontece no 'Ranch' por acaso tem algo a ver com a sua criação em Iowa?

Eu cresci numa cidadezinha de interior com pouco mais de 100 habitantes, portanto, conheço bastante o que é a vida num rancho e na roça. Também sei que o interior nem sempre é representado corretamente na mídia, e ninguém realmente se satisfaz.

Por que, depois de uma enorme série com Chuck Lorre, você resolveu ir para o Netflix?

Nós queríamos deixar a comédia de situação. Queríamos que os personagens falassem como pessoas de verdade, usassem uma linguagem irreverente, algo melhor. Queríamos filmar em exteriores e tocar música country - coisas que não são nada convencionais numa comédia de costumes. Portanto, optamos por fazer isto no Netflix, onde achamos que nos deixaram fazer o programa que queríamos fazer.

Como foi que você colocou Sam Elliott no elenco?

Queríamos um ator com o tipo de pai rigoroso, que se faz respeitar porque isto permite que ele diga o que quer, tenha certa dramaticidade e mesmo assim seja engraçado. Você sabe a sensação de que, independentemente da idade do seu pai, ele pode sempre lhe dar uma surra? Sam é exatamente este tipo.

Masterson disse que aparecerá outra cria de '70s Show'. Mila (Kunis), por acaso?

Vocês terão de esperar para ver.

E aqueles sapatos super confortáveis, como os de Tom Brady, continuam tendo um papel de destaque?

Sim, os sapatos vão aparecer mais uma vez - ou duas. O conforto em primeiro lugar!