'As pessoas querem ter opinião sobre tudo, e isso é um saco', diz Marcelo Marrom

Gabriel Perline - Especial para o Estado de S. Paulo

Humorista integra o time de jurados da quinta temporada do Prêmio Multishow de Humor

Foto: Juliana Coutinho/Multishow

A quinta edição do Prêmio Multishow de Humor estreia nesta segunda-feira, 27, às 22h30, no canal Multishow com um novo integrante no time de jurados: Marcelo Marrom. Ao longo de 20 episódios, ele e os demais integrantes do programa irão avaliar o desempenho de 40 aspirantes a humoristas e, ao final, deverão eleger o melhor dos competidores, que levará o prêmio de R$ 25 mil.

"Tem gente ali que está pronta para ir para o palco e que não perde para nenhum humorista famoso. Ouvi da produção do programa que esta temporada é a que tem o nível de competidores mais elevado", diz Marrom.

Substituto de Fernando Caruso, que esteve na bancada nas quatro temporadas anteriores, Marcelo Marrom entrou no programa para fazer uma avaliação técnica dos candidatos. "A produção cometeu um enorme erro ao dizer que eu poderia zoar no programa. Eu e o Sérgio Mallandro armamos o maior circo e viramos crianças. Isso me fez muito feliz, porque eu não saberia ficar ali sentado e cagando regras para os colegas, não tirar uma onda e sem mostrar como eu faria determinadas cenas ou piadas", admite.

Rir é o seu critério de avaliação. Mesmo que o candidato não traga piadas inteligentes ou seja politicamente incorreto, é a risada de Marrom a responsável pela definição de seu voto. 

Marcelo Marrom entra para a bancada de jurados do Prêmio Multishow de Humor.

Marcelo Marrom entra para a bancada de jurados do Prêmio Multishow de Humor. Foto: Juliana Coutinho/Multishow

"Passei por uma situação curiosa neste programa. Um colega meu, com quem eu já dividi o palco, participou do programa e eu votei contra ele. Não foi por sacanagem e também não foi porque ele não era bom, mas é que o adversário dele foi melhor. Não pude deixar a amizade falar mais alto, tive que prezar pela honestidade", confessou.

Temas sensíveis. Fazer piadas sem ironizar minorias tem sido uma tarefa difícil para os humoristas. E Marcelo Marrom antecipa que elas não foram evitadas nesta temporada do Prêmio Multishow de Humor.

"Sinceramente, toda piada é maldita. Se eu falar sobre um papagaio, é capaz de vir uma associação dos defensores de papagaios para me criticar. Eu, como jurado, tento não ir para um caminho esdrúxulo ou ofensivo", comenta Marrom, que se diz preparado para lidar com as eventuais críticas que possa surgir na internet. "As pessoas querem ter opinião sobre tudo, e isso é um saco. As redes sociais deram voz para muita gente e eu não acho isso ruim. O problema é essa turma que faz vigília para encontrar pelo em ovo e sair xingando tudo. Isso é irritante", finaliza.