Terno branco de Michael Jackson usado em 'Thriller' está de volta

Vanessa Friedman - The New York Times

Peça criada originalmente pela Hugo Boss é refeita com algumas adaptações

Michael Jackson com o terno branco na capa de 'Thriller', que lhe rendeu prêmio de Álbum do Ano no Grammy Awards de 1984 e foi um dos mais vendidos da história

Michael Jackson com o terno branco na capa de 'Thriller', que lhe rendeu prêmio de Álbum do Ano no Grammy Awards de 1984 e foi um dos mais vendidos da história Foto: Sony Legacy

Madonna pode não ter sido a única pop star de estilo mutante a completar 60 anos este mês. Michael Jackson teria alcançado a marca nesta quarta, 29. Em homenagem a seu aniversário, a Hugo Boss, marca alemã por trás do terno branco usado por ele na capa de Thriller, o álbum de 1982 que é um dos mais vendidos de todos os tempos, está atualizando e relançando o look.

Num momento em que os anos 80 estão de volta à moda e que colaborações entre marcas e estrelas do pop são ainda mais celebrados - seja Selena Gomes e a Coach, Elton John e a Gucci, ou Justin Timberlake e Stella McCartney - este é um que vale ser relembrado.

Michael Jackson, que morreu em 2009, é comumente apontado como um dos grandes lançadores de tendência de sua geração, vocal e visualmente - veja, por exemplo, a exposição em cartaz na National Portrait Gallery, em Londres, Michael Jackson: On The Wall, que explora sua influência no mundo da arte.

O costume branco Hugo Boss usado por Michael Jackson na capa de 'Thriller' em sua nova versão, com edição limitada e numerada de 100 exemplares

O costume branco Hugo Boss usado por Michael Jackson na capa de 'Thriller' em sua nova versão, com edição limitada e numerada de 100 exemplares Foto: Cortesia Hugo Boss/ The New York Times

Mas o foco, ao menos no que se relaciona a sua imagem, geralmente está nas suas encarnações mais cintilantes e extremas: as camisas e meias cravejadas de gemas, as jaquetas de motociclista e militares decoradas com aplicações e fitas brilhantes. As inquietantes mudanças no rosto. Há uma tendência, especialmente em retrospecto, de se distrair com o aspecto de figurino disso tudo.

Neste imaginário, o terno branco se destaca como um ponto de calma, um aceno à herança de Fred Astaire, e uma representação da ampla gama de camadas e referências de seu vocabulário de moda. Michael Jackson pode ter lançado a luva única como significante, mas ele também entendeu o poder de uma prega bem colocada - especialmente antes de ele começar a desaparecer num mundo de sua própria imaginação.

A nova versão do terno tem uma silhueta mais estreita (e isso é uma coisa boa), mas ainda tem duas pregas nas calças e três botões de madrepérola nos punhos do blazer. Apenas 100 peças serão produzidas, cada uma delas numerada e vendida por 1.195 dólares (cerca de R$ 5 mil).

Há camisetas para aqueles que preferem homenagens mais acessíveis, mas dado que Jackson usou seu look com uma camisa preta por baixo, elas são menos certeiras na mensagem, mesmo que tenham o homem em si estampado na frente. Ainda assim, é um movimento sagaz da Boss. Na véspera da Semana de Moda de New York, quando a marca deve revelar  um novo look masculino e feminino em seu desfile, o relançamento é um lembrete de que a marca é um pouco mais dada a aventuras do que seu estereótipo sugere.

Detalhe do blazer do conjunto Hugo Boss reeditado e colocado à venda por 1.195 dólares (cerca de R$ 5 mil)

Detalhe do blazer do conjunto Hugo Boss reeditado e colocado à venda por 1.195 dólares (cerca de R$ 5 mil) Foto: Cortesia Hugo Boss/The New York Times