Terceiro dia da Casa de Criadores tem homenagem a Elke Maravilha

Redação - O Estado de S.Paulo

Estreante no evento, a Ken-gá também teve a presença de drag queens como Aretuza Lovi em seu desfile

Vestido de tule com recorte abriu o desfile da Ken-gá

Vestido de tule com recorte abriu o desfile da Ken-gá Foto: Agencia Fotosite

O encerramento do desfile da Ken-gá Bitchwear na quarta, 25, foi uma homenagem a Elke Maravilha. A modelo Valeksa Reis entrou usando apenas um casaco felpudo branco e o tirou no meio da passarela, revelando que ela estava toda pintada de vermelho apenas com um colar que pertenceu a artista, morta em 2016. Segundo a top, a peça demorou 38 anos para ser finalizada e tem pingentes comprados por Elke em diversas viagens. 

A coleção foi inspirada em contos nórdicos e colocou as mulheres como protagonistas da apresentação. Mulheres de diferentes tipos de corpos e até drag queens, como a cantora Aretuza Lovi, foram as modelos da grife, que estreou nesta edição da Casa de Criadores. 

Modelo desfilou usando apenas colar de Elke Maravilha

Modelo desfilou usando apenas colar de Elke Maravilha Foto: Agencia Fotosite

Outro momento tocante foi a o desfile de Fernando Cozendey com a coleção Maculada, feita toda de tule bege. Os convidados receberam um poema que fala sobre pedofilia na perspectiva da vítima. 

Todas as roupas do desfile de Fernando Cozendey eram em bege

Todas as roupas do desfile de Fernando Cozendey eram em bege Foto: Agencia Fotosite

Mais leve, mas não menos político, o desfile de Rafael Caetano foi uma ode ao Chueca, bairro frequentado por LGBTs em Madrid. Outra referência do estilista foi a região da Frei Caneca, em São Paulo, que é conhecida pelo público gay. O resultado foram roupas bem coloridas, com misturas de tecidos, como veludo e paetês. Na beleza, o visual de lágrimas de glitter nas cores do arco-íris foi criado pelo maquiador Bruno Cezar com produtos Kiko Milano. 

Muito brilho na festa de Rafael Caetano

Muito brilho na festa de Rafael Caetano Foto: Agencia Fotosite

Também no clima de festa, Diego Fávaro celebrou os cinco anos de sua marca homônima com a coleção Décima (afinal, são criadas duas por ano), revisitando criações de sucesso e trazendo roupas inspiradas em férias com os amigos, com referências a esportes e sinalizações de trânsito. 

A viagem nada óbvia de Diego Favaro

A viagem nada óbvia de Diego Favaro Foto: Agencia Fotosite

Mais sóbria e sofisticada foi a apresentação de Alex Kazuo, que misturou trajes de festa com roupas casuais, tudo com ar minimalista e com uma cartela de cores com preto, branco, cinza e bege. A trilha sonora foi feita ao vivo por uma harpista. 

A apresentação minimalista de Alex Kazuo

A apresentação minimalista de Alex Kazuo Foto: Agencia fotosite