Tapete vermelho da gala amfAR 2016 tem de Naomi Campbell a Ronaldo Fenômeno

Giovana Romani - O Estado de S.Paulo

Naomi de tênis, Ivete de longo vermelho, Anitta de Versace pagando US$ 100 mil por um quadro. Veja os looks e os detalhes do leilão beneficente que ocorreu em São Paulo na sexta, 15

A atriz Grazi Massafera no tapete vermelho com os estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana

A atriz Grazi Massafera no tapete vermelho com os estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana Foto: AP Photo/Andre Penner

“Aqui não tem crise!” Era Sabrina Sato no palco da gala da amfAR, fundação criada nos anos 1980 para arrecadar fundos e promover pesquisas relacionadas à cura da Aids. Na noite da última sexta, 15, às vésperas da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff pela Câmara dos Deputados, alguns dos empresários e artistas mais poderosos do País se reuniram em um leilão beneficente em prol da causa. O evento teve jantar regado a champanhe, shows de Ricky Martin e Ivete Sangalo e participação especial da lhama de estimação do anfitrião, Dinho Diniz, que abriu sua mansão no Jardim Europa, na zona sul de São Paulo, para receber os convidados. Entre eles, as modelos Naomi Campbell e Kate Moss, os estilistas Marc Jacobs, Domenico Dolce e Stefano Gabbana, o jogador Ronaldo Fenômeno e os globais Cauã Reymond, Grazi Massafera, Alinne Moraes, Cleo Pires, Déborah Secco e Juliano Cazarré.

EFE/Sebastião Moreira
Ver Galeria 17

17 imagens

Havia ainda modelos (Isabeli Fontana, Carol Ribeiro, Ana Claudia Michels), empresários (Carlos Jereissati Filho, do grupo Iguatemi, Alexandre Birman, do grupo Arezzo) e it girls (Lalá Rudge, Helena Bordon, Camila Coutinho). Mostrando-se mesmo alheios à crise, os artistas se esmeraram nos looks e nas doações. De Versace, a cantora Anitta pagou US$ 100 mil por uma tela assinada pelos Osgemeos. Ivete esbanjou simpatia como co-apresentadora de parte do leilão. “Cadê os ‘thousands’, meu povo?”, questionava, incentivando os presentes a aumentarem os lances. Ela mesma fez o seu e levou: pagou US$ 100 mil por um retrato personalizado feito pelo artista plástico Vik Muniz.

A cantora estava elegante com um modelo confeccionado sob medida por Riccardo Tisci, da Givenchy - um longo bordado vermelho. Não, a cor não gerou controvérsia na festa. Aliás, o tema política só veio à tona quando Fafá de Belém subiu ao palco para cantar seu maior sucesso, “Vermelho”. “A música não tem cunho político. Meu coração é verde e amarelo”, declarou, antes de entoar o Hino Nacional em ritmo de samba. A top inglesa Naomi Campbell não deve ter entendido, mas dançou mesmo assim. Era uma das mais animadas da noite, com vestido branco transparente Givenchy que deixava a calcinha (e o corpo perfeito) à mostra. Chegou de botas brancas que logo foram substituídas por tênis Nike. Ela está com um problema no quadril - e tem estilo e confiança de sobra para circular por um evento black tie como bem entender.

Mais tímida, Kate Moss usou minivestido e blazer de veludo e foi homenageada no palco Marc Jacobs, seu amigo de longa data. Quem causou? Anna dello Russo. A editora de moda italian,a que ganhou festa em São Paulo na última quinta, 14, apareceu ao lado de Dolce e Gabbana usando coroa e vestido da grife. A saia do look tinha uma armação metálica que quase derrubava quem passava ao lado. Grazi Massafera também vestiu Dolce & Gabbana e impressionou com o longo preto de mangas compridas, cabelos presos e brincos exibidos.

Entre os homens, o smoking era obrigatório. Só o estilista Renato Ratier variou o dress code e circulou com uma blusa de paetês prateada. Ainda assim não chamou mais atenção que Ronaldo. O Fenômeno surgiu ao lado da namorada, a modelo Celina Locks, e monopolizou os flashes. “Abram seus corações e também suas carteiras”, disse Kevin Frost, presidente-executivo da amfAR. Ronaldo seguiu a proposta à risca: além de distribuir sorrisos, desembolsou US$ 50 mil por um quadro do artista francês Mr. Braiwash com imagens estilizadas de Kate Moss e David Bowie. Foi mesmo uma noite sem crise.