Serena Williams responde sobre ser proibida de usar macacão de 'pantera negra' em evento

Redação - O Estado de S.Paulo

Presidente da Federação Francesa de Tênis disse que o uniforme não será mais aceito

Serena Williams na edição 2018 de Roland Garros

Serena Williams na edição 2018 de Roland Garros Foto: Charles Platiau / Reuters

Serena Williams, a maior jogadora de tênis de todos os tempos, está no olho de uma polêmica que não envolve sua performance em quadra. Em entrevista da 500ª edição da Tennis Magazine, Bernard Giudicelli, presidente da Federação Francesa de Tênis, disse que "acho que às vezes fomos longe demais", sobre o uniforme usado pela atleta no torneio Roland Garros, em maio. 

"Isso não será mais aceito", continua ele. "O jogo e o local devem ser respeitados". Giudicelli também afirmou que o campeonato passará a ter regras de vestimenta. 

A roupa em questão, um macacão preto fabricado pela Nike, que a fez sentir como uma "princesa guerreira" do longa metragem Pantera Negra. "Eu o chamo de meu macacão inspirado em Wakanda. Nós o fizemos antes do filme, mas ainda me lembra disso", disse a atleta ao The Guardian. A peça foi desenvolvida com uma tecnologia especial para ajudar a circulação, uma vez que Serena teve complicações no parto de sua filha, Alexis Olympia Ohanian Jr.

Perguntada sobre o assunto em uma entrevista coletiva, a atleta afirmou que possui uma boa relação com Giudicelli e que tudo está bem. "Quando se trata de moda, você não quer repetir", explicou ela brincando e acrescentando que já "achou outros métodos" para prevenir coágulos. 

Quem também se pronunciou sobre a polêmica foi a Nike, patrocinadora de Serena, que postou uma foto dela no torneio com os dizeres: "você pode tirar um super herói de suas roupas, mas você nunca poderá levar embora seus super poderes."