Estilista sofreu um aneurisma antes de seu desfile na SPFW

Marilia Kodic - Especial para O Estado de S. Paulo

'Se tivesse sido uma semana depois, eu não estaria aqui', diz Lenny Niemeyer

Lenny apresentou uma coleção inspirada nas artistas Hilma af Klint, da Suécia, e Emma Kunz, da Suíça

Lenny apresentou uma coleção inspirada nas artistas Hilma af Klint, da Suécia, e Emma Kunz, da Suíça Foto: Marcelo Soubhia/Fotosite/Divulgação

“Pedi muito para não acontecer nada. Se tivesse sido uma semana depois, eu não estaria aqui”, disse a estilista Lenny Niemeyer, após sua apresentação no terceiro dia da São Paulo Fashion Week, na terça, 29, sobre um aneurisma que sofreu há algumas semanas. “Foi uma coisa séria, fiquei uma semana no hospital. Mas acho que sou espiritualizada, e sou movida a trabalho. A criação é o que eu gosto de fazer, então tenho que segurar. Tenho que ir em frente. Foi mais um desafio, e eu estou feliz”, contou.

Um dos nomes mais fortes da moda praia nacional, Lenny apresentou uma coleção impecável inspirada nas artistas Hilma af Klint, da Suécia, e Emma Kunz, da Suíça, ambas pioneiras do abstracionismo geométrico, e que só tiveram o trabalho reconhecido após a morte. “Elas ficaram na obscuridade durante muitos anos. Eram completamente místicas, uma delas era até médium. As duas trabalhavam com triângulos, esferas, a terra, a convergência... queriam mostrar um universo maior, além da matéria”, disse Lenny. Na passarela, a dimensão espiritual da existência foi transposta para peças cheias de camadas, tridimensionalidade e cor, como tons de rosa e azul claros, que, segundo a estilista, simbolizam o nascer e o pôr do sol. "Minha coleção é uma grande homenagem à força feminina", concluiu.