Rosa Chá volta focada em um lifestyle cool

Júlia Tibério - O Estado de S.Paulo

Com novo posicionamento e longe dos olhos de seu fundador, o estilista Amir Slama, a marca reabre lojas nos Shoppings JK e Cidade Jardim para conquistar público jovem

Marca quer superar a ideia de moda praia e se tornar símbolo de lifestyle para a jovem brasileira

Marca quer superar a ideia de moda praia e se tornar símbolo de lifestyle para a jovem brasileira Foto: Divulgação

Os bíquinis coloridos e estampados continuarão nas araras, mas dessa vez na companhia de roupas e acessórios. Fundada há 21 anos por Amir Slama, a Rosa Chá, marca nacional mais importante de beachwear durante anos, caiu em esquecimento em 2009, quando foi vendida ao Grupo Marisol e logo fechou às portas. O nome então foi comprado pelo Grupo Restoque (dono da Le Lis Blanc, John John, Noir e Bobô), em 2012, que agora relança a Rosa Chá com outro enfoque. 

A marca quer superar a ideia de moda praia e se tornar símbolo de lifestyle para a jovem brasileira, por isso, venderá roupas, bolsas, óculos e até objetos de decoração (além dos biquínis, é claro). Procurada pelo Estadão, a equipe da Rosa Chá não quis se pronunciar à respeito do lançamento (que ocorre oficialmente hoje, no Shopping JK Iguatemi) e nem sobre o novo conceito. 

Para atrair consumidoras em busca de peças descoladas, o investimento principal foi na campanha com as modelos Barbara Palvin, Erin Heatherton, Frida Gustavsson e Taylor Hill - todas bem jovens e famosas internacionalmente. A primeira coleção pretende contar a história de amigas que viajam ao redor do mundo. Nas peças, bordados indianos, referências hippies e étnicas e detalhes com cara de handmade dão o tom gipsy, que será característico da marca.

Para atrair consumidoras em busca de peças descoladas, investimento principal foi na campanha com as modelos Barbara Palvin, Erin Heatherton, Frida Gustavsson e Taylor Hill

Para atrair consumidoras em busca de peças descoladas, investimento principal foi na campanha com as modelos Barbara Palvin, Erin Heatherton, Frida Gustavsson e Taylor Hill Foto: Divulgação

O plano do grupo Restoque é que a Rosa Chá tenha 15 lojas espalhadas pelo Brasil até o final do ano. A ideia não é esquecer o beachwear que fez da Rosa Chá um nome famoso, mas fortalecer a ideia de que na loja você encontra um pouco de tudo para um dia a dia cool.  

Se Amir Salama ficou chateado com a mudança? "Para ser bem sincero, não. Fico é orgulhoso de ver que criei um nome forte que continua famoso mais de duas décadas depois e que sobreviveu à falta de direção e aos arranhões na imagem, característico dos últimos anos", diz o estilista. Hoje, Amir é diretor criativo da marca homônima e desenha coleções para a italiana Yamamay, além de colaborar com outras marcas de fora do País.

A primeira coleção pretende contar a história de amigas que viajam ao redor do mundo

A primeira coleção pretende contar a história de amigas que viajam ao redor do mundo Foto: Divulgação