Relação entre religião e moda é tema de exposição em Nova York

Sergio Amaral - Especial para O Estado de S.Paulo

Mostra do Metropolitan Museum terá trajes e peças de 15 papados além de looks de Versace e Chanel

Fragmento de um piso de mosaico com a personificação de Ktisis, obra do acervo do museu que integra o conjunto da exposição 'Heavenly Bodies'

Fragmento de um piso de mosaico com a personificação de Ktisis, obra do acervo do museu que integra o conjunto da exposição 'Heavenly Bodies' Foto: Divulgação Metropolitan Museum of Art

Moda e religião. Dois assuntos que aparentemente não têm nada a ver (mas que têm muito mais do que imaginamos) servem de fio condutor para a mais nova exposição do Metropolitan Museum de Nova York, Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination (em tradução livre, Corpos Celestiais: Moda e Imaginação Católica), que abre para o público na quinta, 10.

Dividida em dois espaços, parte nas galerias do museu na Quinta avenida, parte nos “claustros”, na parte norte de Manhattan, a mostra temática quer revelar o intenso diálogo entre moda, arte medieval e a Igreja Católica, misturando criações de grifes de luxo, como Versace, Dior e Givenchy, obras de arte bizantinas do acervo do museu e peças de roupas e acessórios do Vaticano.

Veste de uma estátua da Virgem de El Rocio feita por Yves Saint Laurent, em 1985

Veste de uma estátua da Virgem de El Rocio feita por Yves Saint Laurent, em 1985 Foto: Imagem cortesia The Metropolitan Museum of Art/ Escaneamento digital Katerina Jebb

“A moda e a religião se entrelaçam há muito tempo, mutuamente inspirando e informando uma à outra”, diz o curador da exposição Andrew Bolton. “Apesar de ser uma relação complexa e às vezes contestada, ela produziu algumas das mais inventivas e inovadoras criações na história da moda”, completa.

Estarão nos espaços expositivos cerca de 40 peças da sacristia da Capela Sistina, muitas delas emprestadas pelo Vaticano pela primeira vez, como vestes, anéis e tiaras de 15 diferentes papados do século 18 ao início do 21, além de obras de arte da coleção do Met e 150 conjuntos de roupas do início do século 20 até hoje. Entre as criações, looks dos estilistas Cristobal Balenciaga, Gabrielle Chanel e Gianni Versace, Dolce & Gabbana, Jean Paul Gaultier e John Galliano para Dior, além de Craig Green, Demna Gvasalia, Rick Owens, Raf Simons e Thierry Mugler.

O dourado e a cruz, dois elementos recorrentes no imaginário cristão, no vestido Gianni Versace do outono-inverno 1997-98
 

O dourado e a cruz, dois elementos recorrentes no imaginário cristão, no vestido Gianni Versace do outono-inverno 1997-98   Foto: Imagem cortesia The Metropolitan Museum of Art/ Escaneamento digital Katerina Jebb

Antes da abertura ao público, na segunda, 7, o museu realiza um evento de gala beneficente, um dos mais badalados red carpets do ano para fashionistas. Acompanhe o evento e os looks dos convidados aqui pelo E+ e no Insta @modaebelezaestadao.

Uma criação de John Galliano, com inspiração em vestes papais, para a alta-costura do outono-inverno 2000-2001 da Dior

Uma criação de John Galliano, com inspiração em vestes papais, para a alta-costura do outono-inverno 2000-2001 da Dior Foto: Imagem cortesia The Metropolitan Museum of Art/ Escaneamento digital Katerina Jebb

Vestido de temática bizantina do outono-invermo 2013-2014 da Dolce & Gabbana

Vestido de temática bizantina do outono-invermo 2013-2014 da Dolce & Gabbana Foto: Imagem cortesia The Metropolitan Museum of Art/ Escaneamento digital Katerina Jebb

Uma cruz bizantina, do começo dos anos 1000, usada em procissões

Uma cruz bizantina, do começo dos anos 1000, usada em procissões Foto: Divulgação The Metropolitan Museum of Art

Adão, Eva e o paraíso no vestido do verão 2014 da alta-costura da Valentino por Maria Grazia Chiuri e Pierpaolo Piccioli

Adão, Eva e o paraíso no vestido do verão 2014 da alta-costura da Valentino por Maria Grazia Chiuri e Pierpaolo Piccioli Foto: Imagem cortesia The Metropolitan Museum of Art/ Escaneamento digital Katerina Jebb