Personalidades da moda se manifestam sobre decisão que permite tratar homossexualidade como doença

Redação - O Estado de S. Paulo

Liminar divulgada ontem, 18, causou revolta nas redes sociais

A imagem com os dizeres 'Amor não é doença, é a cura' foi uma das mais compartilhadas

A imagem com os dizeres 'Amor não é doença, é a cura' foi uma das mais compartilhadas Foto: Instagram/ @magavilhas

Após a divulgação da decisão do juiz do Distrito Federal, que permite que a homossexualidade seja tratada como uma doença psicológica, divulgada na última segunda-feira, 18, internautas se revoltaram nas redes sociais. Desde 1990 a homossexualidade não é mais considerada um distúrbio, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, e tratamentos de “reversão sexual” são proibidos no Brasil desde 1999.

Muitos nomes da moda, como Lilian Pacce, Patricia Bonaldi e Fábio Souza, mostraram a sua indignação com a medida no Instagram. O organizador do São Paulo Fashion Week, Paulo Borges, compartilhou uma imagem com os dizeres: “Não fui trabalhar porque estou gay hoje”. Já a blogueira Magá Moura escreveu: “Esse país não pode ver uma vergonha que já quer passar” e pediu assinaturas para uma petição que barre a decisão. Confira abaixo as reações dos fashionistas. 

 

Bom dia! #naoahomofobia #nãoàhomofobia

Uma publicação compartilhada por lilianpacce (@lilianpacce) em

 

❤️All About Love ❤️ Somente o Amor Vai Salvar o Universo ❤️ Liberdade Freedom #muitosbeijosnaboca #baci

Uma publicação compartilhada por Giovanni Bianco (@gb65) em

 

Pois é. #homofobiaédoenca #maisamorporfavor #trateseupreconceito

Uma publicação compartilhada por Paulo Borges (@pborgesj) em

 

Mais amor por favor .

Uma publicação compartilhada por Flavia Pommianosky (@flaviapommianosky) em

 

#NAOEXISTECURAGAY #naoaoretrocesso #respeito #resistiremos

Uma publicação compartilhada por Luiz claudio silva (@luiz_ap03) em

 

#trateseupreconceito

Uma publicação compartilhada por Markito Costa (@markitocosta) em