Opinião: Wellness é a nova dieta?

Jorge Grimberg - Especial para O Estado de S. Paulo

A mídia especializada tem mudado o foco de perda de peso para qualidade de vida

Khloé Kardashian é mentora de transformações pessoais em programa na televisão

Khloé Kardashian é mentora de transformações pessoais em programa na televisão Foto: Instagram/@revengebody

Uma das matérias mais lidas do site do New York Times em agosto analisa a questão das novas tendências em nutrição e dieta. De uns tempos para cá, a mídia especializada mudou seus jargões, trocando perda de peso por qualidade de vida. Estamos vivendo a era de empoderamento feminino e inclusão social, portanto, não pega bem assumir que as pessoas mais magras são mais felizes, ou que ser magro é uma meta do coletivo. Mas qual é, afinal, a diferença entre wellness e emagrecimento?

Wellness significa bem-estar. É uma cultura que vai além da perda de peso. Prega uma reeducação alimentar, exercícios, meditação e uma vida mais saudável no geral, de tal modo que simboliza muito mais do que a dieta do momento. Mas (quase) ninguém consegue tomar suco verde e gojiberri o tempo todo, certo? Somos constantemente seduzidos por uma variedade de alimentos. 

Pesquisas apresentadas pelo NYT indicam que pessoas com sobrepeso quase sempre retomam o peso original após dietas de restrição – e a maior parte do que lemos hoje, em referência ao wellness, diz respeito a dietas de restrição. Coma castanhas. Coma queijo. Não coma queijo. Coma queijo sem lactose. Coma carnes brancas, mas não embutidos. Coma frutas. Não coma frutas, pois aumentam o seu índice glicêmico e causam inchaço. Não tome suco. Faça um detox apenas com sucos. Afinal, como lidar com tanta informação contraditória?

Os novos termos vêm e vão para abordar o desafio de estar bem fisicamente versus a vontade de comer bem. E estar acima do peso ainda é um desafio para muitos, além de ser um tema tabu. Marcas de moda usam termos sofisticados, como “plus size”, mas não colocam modelos com medidas avantajadas em campanhas. As musas fitness despontam nas redes sociais, dando dicas e mostrando curvas secas e definidas, levando milhões de usuários a seguirem seus ensinamentos. E quem não consegue emagrecer, faz o quê? 

A sociedade e a mídia ainda custam para encontrar uma linguagem inclusiva para os gordinhos (ops!), porque ninguém mais quer ser chamado assim. Queremos estar em forma, fortes e saudáveis. Logo, wellness pode ser considerado um termo relativo a um estilo de vida focado em dieta, restrição e efeito sanfona. Será que podemos falar sobre isso?