O que fazer se meu parceiro tiver hábitos de consumo muito diferentes dos meus?

Erika Etttin - O Estado de S.Paulo

Certificar-se de que você é compatível com a forma como seu parceiro (a) se relaciona com o dinheiro pode evitar um eterno cabo de guerra sobre o que é e o que não é importante

No início de um novo relacionamento, muitas pessoas destacam que "valores comuns" são algo muito importante. Mas o que isso realmente significa? Em muitos casos esses valores incluem religião, política, vida familiar, ética e, obviamente, dinheiro. 

Obviamente, é bastante difícil discutir este assunto tabu, que é o dinheiro, num novo relacionamento. Mas, como a maioria das coisas na vida, ações falam mais do que palavras. Ver pessoalmente como alguém gasta seu dinheiro diz muito sobre a pessoa observada. 

Em vez de deixar que a questão financeira torne-se algo problemático, trate logo dela e discuta com seu parceiro (a) antes que o assunto se transforme em ressentimento

Em vez de deixar que a questão financeira torne-se algo problemático, trate logo dela e discuta com seu parceiro (a) antes que o assunto se transforme em ressentimento Foto: Pixabay

Como instrutora de encontros (dating coach), eu recebo muitas perguntas sobre o tópico amor e dinheiro. Hoje, eu quero tratar de um dos mais importantes.

"O que fazer se meu parceiro (a) tiver hábitos de consumo muito diferentes dos meus?"

Se a sua abordagem em relação a dinheiro for diferente da do seu parceiro (a), a questão pode representar uma grande tensão para o relacionamento. Então, qualquer que seja sua opinião a respeito de hábitos de consumo, é importante que você e seu parceiro (a) se sintam confortáveis com a forma como o outro trata a questão.

 

Você é o tipo de pessoa que recorta cupons todo o dia para economizar alguns dólares? Ter TV a cabo parece desnecessário, já que você pode assistir seus programas favoritos no Netflix? Ou, talvez, você peça menos taças de vinho do que realmente gostaria quando sai com amigos para jantar?

Por outro lado, talvez, você seja o tipo de pessoa que gosta de fazer viagens extravagantes nas férias e gastar todo o salário de dezembro. É importante para você sempre ter o mais novo iPhone ou iPad? Ou comprar roupas novas quando se sente um pouco triste?

Nenhum desses métodos é errado ou mesmo mutuamente excludente. Porém, eles são diferentes e podem provocar tensões num relacionamento.

Cerca de sete anos atrás, eu me relacionei por um ano e meio com uma pessoa que tem uma visão a respeito de dinheiro diferente da minha. Ele não é judeu e eu pensei que nossas diferenças religiosas pudessem ser o maior obstáculo ao nosso relacionamento, mas no final de contas foram nossos diferentes hábitos de consumo que levaram ao fim. 

Eu trabalho duro e gosto de me recompensar por isso. O que não significa comprar pulseiras da Tiffany ou bolsas da Coach, mas sim pequenas conveniências. Por exemplo, costumávamos discutir toda vez a respeito de serviço de manobrista. Se está frio e não há vaga na rua para estacionar, considero que vale a pena pagar US$ 10 ou US$ 15 pela conveniência de sair do carro e entrar direto no restaurante. Ele, por sua vez, preferia dirigir cerca de 20 minutos, chegar atrasado e andar mais de um quilômetro no frio para poupar esse dinheiro. Mais uma vez, nenhuma das atitudes é certa ou errada, são apenas diferentes. 

Certificar-se de que você é compatível com a forma como seu parceiro (a) se relaciona com o dinheiro, porém, pode evitar um eterno cabo de guerra sobre o que é e o que não é importante. 

No que diz respeito a esta questão, como você decide gastar seu suado dinheiro é uma decisão muito pessoal. Assim como seus valores a respeito de política e religião, seus valores a respeito de dinheiro terão provavelmente um grande papel num relacionamento de longo prazo. É por isso que é melhor tratar da questão antes que ela se torne muito grande e difícil de lidar. 

Em vez de deixar que a questão financeira torne-se algo problemático, trate logo dela e discuta com seu parceiro (a) antes que o assunto se transforme em ressentimento (na verdade, esta é uma forma saudável de lidar com a maioria das grandes questões que surgem num relacionamento). Algumas situações se encerrarão com um acordo simples, outras, não. Para que seu relacionamento vá adiante, porém, é importante que seu parceiro (a) queira investir completamente!

 

* Erika Ettin é fundadora do A Little Nudge, onde ajuda outras pessoas a navegar pelo, geralmente, assustador mundo dos encontros on-line