O melhor da Semana de Moda Masculina de Londres

Jorge Grimberg - O Estado de S.Paulo

No Reino Unido, setor já apresenta crescimento mais significativo que o de vestuário feminino

A temporada primavera verão 2016 de moda masculina começou na última semana com os desfiles de Londres, que ocorreram entre os dias 12 e 15. De acordo com o British Fashion Council, responsável pelo evento, o mercado masculino de moda vem apresentando um crescimento significativo - mais até que o feminino. Nos últimos cinco anos, as vendas cresceram 22% no Reino Unido, alcançando a cifra de 13,5 bilhões de libras em 2014. Para este ano, a previsão é que o faturamento ultrapasse os 14 bilhões de libras, segundo previsão da consultoria Mintel. “Os estilistas de moda masculina estão influenciando o setor, as vendas e a nova relação dos homens com as roupas", afirma Dylan Jones, membro do British Council e editor da revista GQ inglesa. 

Lá, em quatro dias, mais de 70 coleções foram desfiladas, quase o dobro da última edição da São Paulo Fashion Week. Novos estilistas e marcas consagradas compuseram o painel de tendências apresentadas na semana inglesa. A Burberry foi a responsável pelo maior desfile da estação e mostrou que permanece firma na missão de construir uma imagem de moda atrelada ao lifestyle londrino. Embalados pela música ao vivo do cantor Rhodes, os modelos desfilaram criações um tanto ousadas. A renda, material superfeminino, foi escolhida para compor camisas e camisetas, algo que também apareceu na coleção da Gucci. A sobriedade típica da grife estava nos ternos, nos sapatos e nas pastas bem tradicionais. A Burberry é a marca que consagrou os trench coats no universo da moda - uma peça sem gênero e democrática. Vamos ver se consegue emplacar agora o estilo feminino no armário masculino. 

Burberry Verão 2016

Burberry Verão 2016 Foto: Divulgação

Burberry Verão 2016

Burberry Verão 2016 Foto: Divulgação

Já a coleção de Alexander McQueen, por Sarah Burton, merece destaque pela originalidade. O foco central do desfile foram as estampas bordadas de tatuagens old school, com referências ao alto mar - como âncoras e sereias - para ornamentar ternos bem cortados e peças estilo pijama. O branco foi uma aposta forte e tem tudo para funcionar nas coleções masculinas em 2016, assim como ocorreu nas femininas em 2015. 

Alexander McQueen Verão 2016

Alexander McQueen Verão 2016 Foto: Divulgação

Alexander McQueen Verão 2016

Alexander McQueen Verão 2016 Foto: Divulgação

Vencedor do prêmio British Fashion Awards de melhor estilista masculino de 2014 e diretor criativo da espanhola Loewe, adquirida pelo grupo LVMH, o jovem J.W. Anderson está no spotlight. Muito à frente de seu tempo, o designer é o grande representante da contra-cultura e da vanguarda inglesa. Seu mundo da imaginação emerge nas passarelas: proporções inovadoras que remetem a uniformes de lutas asiáticas misturadas a sapatos e blusas que, muitas vezes, dão a impressão de estar fora do lugar.  É o tipo de encanto/repúdio que Alexander McQueen causava quando vivo. É preciso ser um gênio para exibir na passarela um estilo tão perturbador quanto excitante. 

J.W. Anderson Verão 2016

J.W. Anderson Verão 2016 Foto: Divulgação

J.W. Anderson Verão 2016

J.W. Anderson Verão 2016 Foto: Divulgação