Na moda, a sustentabilidade é a base do novo luxo

Ana Luísa Torres - Especial para O Estado de S. Paulo

Em mesa do SPFW, representantes de iniciativas socioambientais e a marca Osklen falam sobre novas formas de se fazer moda

A utilização do couro do pirarucu é uma das iniciativas sustentáveis da Osklen

A utilização do couro do pirarucu é uma das iniciativas sustentáveis da Osklen Foto: Divulgação/ Instituto-E

Na terça, 23, a organização da São Paulo Fashion Week promoveu uma mesa sobre moda e sustentabilidade no espaço Arca, onde ocorre o evento durante essa semana.

Os participantes eram Oskar Metsavath, fundador e diretor criativo da Osklen, Leonardo Marques, mestre da instituição COPPEAD – UFRJ, que conduziu uma pesquisa de mensuração dos benefícios socioambientais gerados pelas iniciativas sustentáveis da marca, André Ballesteros, da Fundação Amazonas Sustentável, e Cacau Araujo, da iniciativa Believe Earth. Maria Rita Alonso, editora de moda do Estadão, foi convidada para mediar a conversa.

Oskar contou sobre a origem das iniciativas de engajamento da marca, suas primeiras preocupações e alguns desafios enfrentados, há 30 anos e hoje, ao introduzir o conceito de um “novo luxo”. Entre as inovações da marca, estão a utilização do couro do pirarucu, maior peixe de água doce do Brasil, como material exótico. A ideia é dar novo propósito ao material, que normalmente é descartado para a obtenção da carne. Aliada à Fundação Amazonas Sustentavel, a marca garante que a pesca do pirarucu respeita o ciclo reprodutivo da espécie.  

“Formas de produção que oferecem menor impacto ao meio ambiente e fortalecem cadeias justas em comunidades regionais custam caro por uma série de motivos. Um deles é a falta de escala, porque ainda são inovações, ou seja, não existe um volume de demanda que reduza os custos por rateio. O outro é que, muitas vezes, essa grande escala não pode existir, porque o próprio volume precisa ser controlado para garantir que a iniciativa permaneça sustentável. É por isso que trabalhamos o conceito de um ‘novo luxo’. Existe exclusividade, existe storytelling por trás para justificar o preço”, explicou Oskar.  

Os convidados ainda frisaram a importância de que o consumidor de moda se sensibilize sobre a origem dos produtos que adquire e explicaram as medidas que suas respectivas organizações propõe para promover essa tomada de consciência.

A conversa foi parte da programação de palestras do Projeto Estufa, iniciativa da organização do SPFW para apresentar novas formas de criar, distribuir e produzir moda.