Mulheres com menos de 30 anos recorrem a 'botox preventivo'

Gabriela Marçal - O Estado de S.Paulo

A toxina botulínica está sendo cada vez mais usada por jovens como método para prevenir rugas; veja opinião de médicos

O botox vem sendo usado cada vez mais antes mesmo do aparecimento de rugas 

O botox vem sendo usado cada vez mais antes mesmo do aparecimento de rugas  Foto: Divulgação

O uso do botox já é bastante conhecido para o tratamento de sinais de envelhecimento. No entanto, um novo protocolo vem se popularizando em consultórios médicos: a aplicação da substância antes mesmo do aparecimento de rugas fixas ou flacidez em pacientes que, em geral, têm entre 25 e 30 anos de idade. O botox preventivo, como ficou conhecido, também está sendo usado para levantar a sobrancelha e a testa.

 

Na clínica da dermatologista Carla Vidal, em São Paulo, a procura por esse tipo de tratamento cresceu nos últimos meses. Ela costuma recomendar a técnica para pessoas que, ao falar, movimentam excessivamente a musculatura da boca e da testa - hábito que favorece o surgimento de linhas de expressão. "Geralmente, a primeira aplicação preventiva é feita aos 25 anos, mas não existe uma idade certa. O médico precisa avaliar, pois você pode ter uma idade cronológica e a sua pele outra", afirma Carla.

 

O dermatologista Marcelo Bellini, que atende na capital paulista, também é favorável à prática. "Eu aplico em pacientes a partir de 24, 25 anos. Abaixo dessa idade é complicado, mas existe uma procura pequena", diz ele.

 

Polêmico, o botox preventivo ainda não é consenso entre os especialistas. "O uso de toxina botulínica deve ocorrer quando em repouso facial temos aparecimento de algumas linhas de expressão. Antes disto não vejo por que", diz a dermatologista Estrela D'Aurea Machado. "Afinal, como saberemos se pessoa terá as rugas ou não?" 

A dermatologista Claudia Marçal, por sua vez, considera possível observar se há uma tendência para ter rugas. "Quando vejo em uma paciente jovem características de que ela vá apresentar linhas finas precocemente, eu indico a aplicação uma vez por ano", diz a dermatologista Claudia Marçal.

Outra questão levantada pelos contrários a prática é que o corpo pode ficar resistente ao botox e, consequentemente, ele pode não ter eficácia quando for realmente necessário. Por isso, a frequência de aplicação deve ser pequena. "É importante não fazer com um intervalo menor de seis meses, pois isso pode aumentar a imunidade e resistência ao procedimento", alerta a dermatologista Mayra Lima, da Clínica Valéria Marcondes.

 

O custo de uma aplicação de toxina botulínica pode variar de R$ 1 mil a R$ 2 mil. A substância, seja para fins preventivos ou de tratamento, é contraindicada para grávidas, lactantes e pessoas com doenças neuromusculares.