Moda praia masculina: sunga ou bermuda?

Marília Marasciulo - O Estado de S.Paulo

Quando o assunto é o que vestir na hora de tomar sol e nadar, não há consenso sobre o que é certo ou errado. Veja os modelos atuais de ambas as peças e escolha qual mais combina com seu estilo

Da sunga, os cariocas e os paulistanos entendem. E gostam. Afinal, ninguém merece aquele bronzeado manchado depois de ficar no sol de bermuda, certo? Nem sempre. A turma do surf prefere mesmo o bermudão estampado de qualquer forma. Assim como os adolescentes da geração Z, que torcem o nariz para o traje praiano diminuto. Para eles, sunga é careta e ponto. Nessa polêmica do verão, não há um lado certo. Vai de cada um escolher o lado em que se sente mais confortável.

“A relação do brasileiro com a praia é muito tranquila. Ele busca aquilo que o deixa mais à vontade e é isso que realmente importa”, diz o estilista Amir Slama, criador da marca Rosa Chá, que atualmente comanda a grife de moda praia que leva seu nome.

 

Mais comuns entre os latinos, as sungas são práticas e ideais para banhos de mar e piscina. Elas permitem maior movimento das pernas, não ficam pesadas e empapuçadas dentro da água e ainda são aliadas do bronzeado. Há três modelos principais: a cavada, mais fina na lateral e justa; o sungão, largo e às vezes até franzido na parte de trás; e o shortinho, também largo e um pouco mais comprido. Na opinião de Slama, em 2016 as que têm ar mais esportivo, com recortes, formas arredondadas e cores vibrantes devem estar em alta, principalmente por causa das Olimpíadas.

 

Para escolher o shape ideal, deve-se levar em conta o tipo de corpo. Homens que estão acima do peso podem apostar em sungas maiores, que equilibram melhor as proporções. Preto, marinho e verde escuro são cores sem erro. As brancas e claras demais exigem atenção, já que podem ficar transparentes.

 

Prefere ficar no time dos de bermuda? Tudo bem. Esportivas por natureza, elas transitam da praia à cidade. Para nadar, o ideal é que sejam de tecidos leves e que secam rápido, como o poliéster. Há dois modelos principais, os com elástico na cintura e um pouco acima do joelho, e os mais compridos, em geral com velcro e cordinha. O primeiro é preferido pelos mais moderninhos, enquanto os mais compridos costumam ser a escolha dos surfistas. Aqui, diferentemente das sungas, vale deixar de lado as cores básicas e apostar em estampas, grafismos e listras.

 

A escolha final, diz Slama, depende muito da consciência corporal de cada um. “Não existe certo ou errado e ninguém tem autoridade para julgar o outro”, diz. “O importante é se olhar no espelho e se sentir bem.”