Menina de 10 anos cria marca empoderada após sofrer racismo

Isadora de Almeida - Especial para O Estado de S.Paulo

Kheris Rogers chegou a mudar de escola por conta de bullying

Kheris Rogers.

Kheris Rogers. Foto: Instagram/ kherispoppin

Com apenas 10 anos de idade, Kheris Rogers já passou por maus bocados por conta de seu tom de pele. A americana chegou a ter que mudar de escola para ver se o bullying diminuía. “Ela já chorou muito e falou que não gostava de sua cor”, contou a mãe de Kheris, em entrevista ao Buzzfeed News.

Porém, após ajudar sua irmã mais velha em um desfile de moda, as coisas começaram a mudar. O tweet em que Taylor mostrou o resultado da irmãzinha pronta para a passarela viralizou e teve mais de 30 mil compartilhamentos, o que impressionou Kheris e a ajudou a aumentar a autoestima.

Desde então, ambas produzem fotos enaltecendo a cor da menina e postam na conta do Instagram de Kheris. O perfil já tem 22 mil seguidores e agora evoluiu até mesmo para uma loja online, onde elas vendem camisetas com a frase ‘Flexing In My Complexion’. A peça viralizou na internet como uma hashtag para mostrar a beleza de diferentes etnias que não costumam ser representadas pela mídia. Os itens custam 15 dólares e são entregues no Brasil. 

 

Happy Mother's Day to the best mom ever! @thatchickep I love you ❤️ Photo by: @jucafavela

Uma publicação compartilhada por Kheris Rogers (@kherispoppin) em

 

I may only be 10, but I'm a Queen in training #blackgirlmagic #blackgirlsrock #melanin #melaninpoppin #myblackisbeautiful #melaninonfleek

Uma publicação compartilhada por Kheris Rogers (@kherispoppin) em