Maria Grazia Chiuri avança com a era feminista da Dior

María D. Valderrama - EFE

Coleção de primavera-verão da grife francesa foi apresentada nesta terça, 26

As formas clássicas da Dior, como o tailleur, apareceram de maneira moderna nesta coleção

As formas clássicas da Dior, como o tailleur, apareceram de maneira moderna nesta coleção Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes

A Dior foi a responsável pela abertura do primeiro dia da Semana de Moda de Paris, na terça, 26, apresentando uma clara continuação do projeto da estilista Maria Grazia Chiuri, que começou como diretora criativa da grife há um ano: colocar o feminismo no centro do debate. 

Se suas camisetas brancas com a frase 'we should all be feminists' (todos nós deveríamos ser feministas, em português) foram objeto de desenho em temporadas passadas e copiadas por marcas mais baratas de todo o mudo, a coleção de primavera/verão 2018 promete seguir esses passos. 

A modelo russa Sasha Pivovarova abriu o desfile com look um simples , composto de calças jeans e camiseta listrada com a frase 'why have there been no great woman artists?' (por que não houveram ótimas artistas mulheres?) estampada. 

Camiseta com a frase 'why have there been no great woman artists?' (por que não existem ótimas artistas mulheres?) abriu o desfile

Camiseta com a frase 'why have there been no great woman artists?' (por que não existem ótimas artistas mulheres?) abriu o desfile Foto: AFP PHOTO / FRANCOIS GUILLOT

Maria Grazia criou uma identidade visual em suas coleções para a Dior e segue com firmeza na evolução de suas criações. Novamente ela colocou na passarela vestidos estilo bailarina, com saias de tule sob tops estilo espartilho, boinas e elásticos marcados com o nome Christian Dior, fundador da grife. 

Mas, se as formas continuam as mesmas, as cores desta estação transcederam além do azul marinho e preto, também presentes, em uma mistura punk de listras rosas, amarelas e vermelhas e peças para a noite carregadas de lantejoulas. 

A italiana continua bebendo nos arquivos da maison para se inspirar, porém sai da linha criativa dos estilistas que vieram antes dela - Maria Grazia é a primeira mulher à frente da Dior -, por não falar só de moda, mas também de empoderamento feminino. 

Vestidos com mosaico espelhado foram destaque

Vestidos com mosaico espelhado foram destaque Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes

Batizada de 'Residência Secundária', a coleção descreve a mala de uma mulher que passa suas férias em uma casa de veraneio, um momento em que se desfaz dos conjuntos sérios do trabalho e dá lugar aos vestidos de festa, pijamas de seda e minissaias jeans. As cores foram inspiradas no pôr do sol à beira mar, e o azul e branco ganharam toques de laranja e amarelo. 

 

Peças com pegada punk foram combinadas com outras supercoloridas

Peças com pegada punk foram combinadas com outras supercoloridas Foto: AFP PHOTO / FRANCOIS GUILLOT