Mamães mais velhas podem ter o gene da longevidade

Lena H. Sun - O Estado de S.Paulo

Pesquisa aponta que mulheres que tiveram seu último filho depois dos 33 anos de idade tinham duas vezes mais probabilidade de viver até os 95 anos ou mais

Ponto positivo para as mamães mais velhas: o gene que permite que algumas mulheres tenham filhos em idade mais avançada também torna provável que essas mulheres tenham vida mais longa.

Segundo um estudo publicado na semana passada, as mulheres que têm filhos após os 33 anos de idade sem uso de drogas ou outros tratamentos contra a infertilidade - têm mais chance de viver por mais tempo do que aqueles mulheres que tiveram seu último filho antes dos 30 anos.

Os resultados do estudo realizado pela Escola de Medicina da Universidade de Boston são coerentes com outras conclusões sobre a relação entre a idade da mãe quando do nascimento do seu último filho e o que os pesquisadores consideram uma longevidade excepcional - ou seja, viver até os 95 anos ou mais.

"Achamos que os mesmos genes que permitem a uma mulher ter um filho com mais idade de maneira natural são os mesmos que têm um papel importante na diminuição da taxa de envelhecimento e redução do risco de doenças relacionadas à idade, como doenças cardíacas, derrames, diabetes e câncer", afirmou Thomas Perls, professor de Geriatria no Centro Médico da Universidade de Boston, um dos principais participantes do estudo.

Perls citou a atriz de Hollywood Halle Berry, que teve seu segundo filho aos 46 anos de idade, como um exemplo de uma mulher que provavelmente tem esses genes. "Ela achou que estava entrando na menopausa e não entendeu porque teve de mudar seu número de manequim".

A pesquisa baseou-se na análise de dados do Long Life Family Study, estudo genético de 551 famílias com muitos membros que atingiram uma idade excepcional. O Centro Médico de Boston, hospital universitário afiliado à Escola de Medicina da Universidade de Boston, é um dos quatro centros de estudo que participaram do Long Life Family Study.

Os pesquisados determinaram as idades em que 462 mulheres tiveram seu último filho e até que idade elas viveriam. A pesquisa concluiu que as mulheres que tiveram seu último filho depois dos 33 anos de idade tinham duas vezes mais probabilidade de viver até os 95 anos ou mais, em comparação com aquelas que deram à luz aos 29 anos. Das 462 mulheres 247 tiverem seu último filho depois dos 33 anos.

Perls sublinhou que as mulheres não devem se basear nas conclusões do estudo e, deliberadamente, adiar a idade para ter filhos. Os pesquisadores não sabem se filhos nascidos de mulheres com mais idade tiveram problemas congênitos. Os médicos geralmente alertam as mulheres para o risco de um aumento dos problemas congênitos por causa da idade mais avançada da mãe.

"No nosso caso, são todas mulheres cujas famílias primam pela longevidade, portanto não sabemos se existe aquele mesmo risco ou não, disse Perls.

O estudo foi publicado na revista Menopause: The Journal of The North American Menopause Society.

Tradução de Terezinha Martino