Louis Vuitton faz ode à excentricidade e à arte de Miró

Redação - AFP

Coleção cruise da grife foi inspirada em Grace Coddington

A excentricidade foi o ponto de partida das criações de Nicolas Ghesquière 

A excentricidade foi o ponto de partida das criações de Nicolas Ghesquière  Foto: EFE/SEBASTIEN NOGIER

Entre esculturas e cerâmicas de Miró, a Louis Vuitton optou pela excentricidade. Depois de ter buscado inspiração no Japão no ano passado, o diretor criativo da grife, Nicolas Ghesquière, lançou a coleção cruise na segunda, 28, em desfile armado nos jardins da Fundação Maeght, situada em Saint-Paul-de-Vence, uma pequena cidade na França. 

Fundada em 1964 pelos comerciantes de arte Aimé e Marguerite Maeght, a instituição abriga uma importante coleção de pinturas, esculturas e obras gráficas do século XX (Balthus, Bonnard, Braque, Calder, Chagall, Giacometti, Léger ...)

"Quis homenagear este lugar que tanto gosto e a história dos Maeght", conta Ghesquière à AFP. "Para mim, representa a origem das fundações de arte, é uma história de amor entre uma família, os artistas e a arquitetura", continua ele, comparando o local com a Fundação Louis Vuitton, inaugurada em Paris em 2014 que também abriga uma série de exposições de arte. 

Outra fonte de inspiração foi Grace Coddington, ex-diretora criativa da Vogue America e grande figura da moda, que foi homenageada por sua excentricidade. 

O desfile ocorreu no 'Labirinto de Miró', na França

O desfile ocorreu no 'Labirinto de Miró', na França Foto: EFE/SEBASTIEN NOGIER

Várias modelos eram ruivas - a principal característica física de Grace -, e as roupas claramente remetiam ao estilo dela. 

A coleção de 59 looks mistura gêneros, com coletes e jaquetas em xadrez príncipe de gales combinados com estampas florais complexas, listras e poás. As mangas são largas, os ombros definidos e as calças curtas. Para caminhar sem perigos sobre os cascalhos do Labirinto de Miró, nada de saltos: botas altas de sola larga e arredondadas deixaram as modelos com ar de heroínas de ficção científica. 

"A excentricidade consiste em definir sua própria personalidade, é misturar coisas de uma maneira única", explica Ghesquière. "Para mim, Grace representa uma forma de excentricidade com seu estilo muito definido." 

Ex-modelo e ex-braço direito de Anna Wintour na Vogue America, Grace Coddington, de 77, criou para esta coleção uma linha de bolsas que combinam o icônico monograma V com ilustrações de gatos e cachorros. 

Grace Coddington criou parbolsas que combinam o icônico monograma LV com ilustrações de gatos e cachorros. 

Grace Coddington criou parbolsas que combinam o icônico monograma LV com ilustrações de gatos e cachorros.  Foto: REUTERS/Eric Gaillard