Lolitta aposta em linhas retas e simetria em coleção inspirada no Egito

Marina Domingues - O Estado de S.Paulo

Estilista Lolita Hannud abre mão de seus vestidos com babados e traz peças mais sérias para a passarela, sem perder o DNA do tricô

Lolitta aposta em linhas retas e simetria em coleção inspirada no Egito

Lolitta aposta em linhas retas e simetria em coleção inspirada no Egito Foto: Estadão

A jovem paulista desfilou pela segunda vez na SPFW. E, diferentemente da estreia, Lolita deixou de lado o excesso de babados e feminilidade exacerbada com uma coleção mais limpa. Com o Egito Antigo como tema principal, a estilista abusou das linhas retas e geometria, como estampas triangulares. “Entrei na área de Egito do Metropolitan Museum, em Nova York, e me encantei com esse universo”, explica Lolita.

A riqueza do tricô surge em diversos pontos, desde os mais fechados com detalhes delicados até os mais abertos que ganham aspecto pesado. O DNA da marca fica presente aí, na força de inovar em formas variadas, com muito trabalho manual.

O elemento feminino, antes em babados e silhuetas super justas, veio em faixas amarradas à cintura, marcando a área. O movimento sai de cena e entram as formas retas e estruturadas, mais afastadas do corpo. “Acredito que é uma evolução natural da marca, que mostra que não é preciso perder a identidade para se renovar a cada temporada.” A cartela de cores segue essa máxima, com tons mais invernais, como bordô e roxo.

A alfaiataria também foi novidade, tudo 100% em tricô, com coletes amplos e jaquetas. A joalheria egípcia também marcou presença, com aros metálicos aplicados nas peças entremeando tricôs.