Little White Dress #LWD

Michelli Provensi - O Estado de S.Paulo

Michelli Provensi fala sobre a criatividade - ou a falta dela -, a tendência do vestidinho branco e a volta de John Galliano

Seria o branco o novo preto? O tom foi protagonista nas passarelas internacionais

Seria o branco o novo preto? O tom foi protagonista nas passarelas internacionais Foto: Divulgação

Um apagão criativo, dureza enfrentar a folha em branco, o que tá na moda mesmo? Deu branco! Só no Estado de São Paulo, 2.020.613 votaram em branco para governador, a ressaca moral das eleições deu vontade de vestir preto e ficar em casa vendo Twin Peaks no repet até a série voltar (o diretor David Lynch prometeu para 2016). Porém, preto não condiz com o grande hit das passarelas, seria o branco o novo preto, ou seria o preto o novo branco?

Nessa temporada de desfiles internacionais, muitos fashionistas acreditaram que uma nave espacial veio e abduziu toda a criatividade dos estilistas, deixando em seu lugar um rastro comercial. De fato, poucos quiseram abusar. Sorria, este vestidinho vende, sexo vende!

De acordo com o site BOF - The Bussines of Fashion, Milão, que sempre foi a cidade mais provocante no quesito sensualidade, perdeu seu posto nesta temporada para Paris e os japoneses que por lá desfilaram. Sim, Yohji Yamamoto tem sex appel, viva o ziriguidum. 

Fora debate, jogo de futebol e fim de novela, acompanhar o twitter na semana de moda é muito divertido. Eis que em minha timeline começa brotar a hashtag LWD por todo lado.“Mmmmm I can’t get enought of this sexiness!!! #LWD”, "Oh My God, that Little White Dress” #LWD.  Para os desavisados, trata-se do Little White Dress, o vestidinho branco que apareceu em muitas passarelas internacionais. Pois perceba, o tempo voa, já se vê decoração de Natal nos shoppings, e olhando as fotos de desfiles me vem uma certeza: todo fim de ano o vestidinho branco é tendência!

Fecho os olhos e escuto aquele hit novo do Pharrell Willians, sinto o cheiro do filtro solar 50, o biquíni por baixo do vestidinho branco no quadrado, em Trancoso. Abro os olhos aflita, pois fim de ano é muito caro ir pra Bahia, e sou daquelas que deixa tudo pra última hora. Me jogo no mar sem saber nadar muito e Iemanjá me devolve na primeira onda, me dizendo que sou à prova d'água…

Nosso Réveillon jamais brotou em tamanha tendência, aha-uhu, o vestidinho branco é nosso! 

Quem não apostou na #LWD, mas aderiu à fenda sexy foi a maison Martin Margiela. Criada pelo belga com fama de invisível, esta semana a grife anunciou o mais visível dos estilistas possível, John Galliano, como novo diretor criativo da marca.

Nos últimos tempos, Galliano foi a torcedora do Grêmio da moda, desde que foi despedido da Dior em 2011 sob acusações de racismo e anti-semitismo. A moda também perdoa e o excepcional costureiro volta firme e forte para, quem sabe?, derrubar os alienígenas que levaram a criatividade embora. “Sou capaz de criar, estou pronto para criar!", grita Galliano.

A moda é adiantada, o verão neste país também, o vestidinho branco desfilado acima do trópico vai demorar um pouco pra chegar, mas vê pelo menos se você não demora a encontrar alguém pra dividir um quarto naquela pousada que os amigos querem fechar. Onde der pra desfilar um vestidinho branco e a internet não funcionar, é pra lá que vou.

… Feliz 2016.