Iódice: entre o crochê e o lamê

Maria Rita Alonso - O Estado de S.Paulo

A marca trouxe uma mistura de texturas e estampas inspiradas em tribos africanas

A marca trouxe uma mistura de texturas e estampas inspiradas em tribos africanas

A marca trouxe uma mistura de texturas e estampas inspiradas em tribos africanas Foto: Jf Diorio/ Estadão

Vestidos drapeados em lamê, estampas com motivos africanos e crochês rústicos, poderosos, formaram uma composições harmônica na passarela da Iódice. Com um histórico de parceria com organizações sociais, a marca inovou com uma linha de casacos e peças em crochê, feitas a mão por presidiários da Penitenciária Professor Ariovaldo de Campos, de Minas Gerais. As saias e os vestidos no comprimento mídi, um hit da estação, ganharam toque étnicos com estampas que remetem às pinturas corporais das tribos africanas. 

Peças em seda e couro, em tons de azul, vermelho e nude, foram a base do desfile. Os drapeados e plissados, bem executados em peças com movimento, vieram inspirados nas cestarias. A beleza do desfile, com a pele limpa e os cabelos chapados, divididos ao meio, reforçaram a proposta geométrica da coleção e uma tendência forte: o cabelo liso está de volta! 

Denise Andrade/AE
Ver Galeria 6

6 imagens