Indulgência renascentista na coleção Cruise 2018 da Gucci

Colleen Barry - AP

Alessandro Michele apresentou a linha de meia temporada da marca no Palácio Pitti, em Florença

Alessandro Michele escolheu a cidade natal da Gucci para apresentar a coleção Cruise 2018

Alessandro Michele escolheu a cidade natal da Gucci para apresentar a coleção Cruise 2018 Foto: EFE/MAURIZIO DEGL INNOCENTI

A coleção Cruise 2018 de Alessandro Michele foi tão artisticamente excêntrica quanto os quadros pendurados no Corredor Varsari, que os convidados cruzaram para chegar ao desfile que aconteceu na segunda, 29, no Palácio Pitti, em Florença, na Itália. 

O evento apresentou uma linha baseada nas eras heróicas da Bacia Mediterrânea, da Grécia e Roman antiga ao Renascimento. Para o estilista, as referências representam uma forma de modernidade. "Essas pessoas, como Vespucci e as modelos renascentistas, eram as mais rock'n roll daquele tempo. Isso está na nossa cultura, ainda está aqui. Gregos e romanos ainda estão em todos os lugares", explicou ele. 

Eles foram inspirações perfeitas para uma marca que está aproveitando seu próprio renascimento sob a supervisão de Michele, que está em seu terceiro ano na marca. 

Foi uma noite de indulgência renascentista para os espectadores da Gucci, entre eles Antes do desfile, os convidados, entre eles celebridades como Elton John, Kirsten Dunst, Jared Leto e Dakota Johnson, puderam conferir de perto as obras-primas do pintor Sandro Botticelli na Galeria Uffizi e uma visita guiada pelo Corredor Vasari, construido pela família Medici para conectar a Uffizi ao Pitti Palace, que atualmente está fechado para o público para reparos. 

A coleção foi inspirada nos movimentos artísticos da Bacia do Mediterrâneo

A coleção foi inspirada nos movimentos artísticos da Bacia do Mediterrâneo Foto: Maurizio Degl'Innocenti/ANSA via AP

Antes de aparecer para o público, Michele, usando a camiseta 'Guccify Yourself', disse que ele apostou em excentricidade. "Você tem que fazer tudo, você sabe, louco", disse o estilista no backstage. "Não tem tempo. Você pode fazer o que quiser." 

O estilista escolheu o Pitti Palace como local do desfile em homenagem ao local de nascimento da marca, que foi fundada em Florença. Anteriormente, a ideia era fazer o evento no Partenon, mas as autoridades Gregas vetaram. 

"Florenças ainda é uma das metrópoles mais fascinantes do passado. Eu sempre digo que é como o Condado de Napa agora", disse o designer. "Tudo é aqui. Beleza, o poder do bom dinheiro, tudo. Ainda é fascinante." 

Princesas estilo renascentistas com vestidos fluidos e rostos enfeitados com pérolas desfilaram pelas galerias do século 19, usando sapatos de salto fino que foram camuflados pelo tapete amarelo instalado pela marca para proteger o piso de mármore e terracota. Elas foram seguidas por turistas com o já tradicional visual geek da Gucci, usando listras oversized, sacos pendurados no pescoço como porta-passaportes ou emissários extrangeiros que entraram no palácio usando túnicas exóticas e cintos. 

A estética dos vestidos foi inspirada nas princesas renascentistas

A estética dos vestidos foi inspirada nas princesas renascentistas Foto: EFE/MAURIZIO DEGL INNOCENTI

Franjas longas e douradas nas costas de jaquetas de couro deram impressões de asas. Um casaco de pelo apareceu com exageradas mangas bufantes. 

Em uma era em que cobrir a cabeça pode ser uma declaração política, os acessórios eram cheios de requinte, incluindo coroas de louro prateadas e douradas, capuzes de pele, bonés adornados com pérolas, turbantes metálicos e peças de cabeças com estrelas disparando para cima. 

O logo da Gucci, assim como a marcante cobra, tem um papel central na nova Gucci criada por Michele. Ele chama o ícone de G's duplos de "os hieroglifos da companhia. É um símbolo pop, que torna tudo poderoso. "

Para fechar a noite, uma perfomance de Beth Ditto no jardim da propriedade. 

O casaco de pele com mangas bufantes foi um dos pontos de destaque da coleção

O casaco de pele com mangas bufantes foi um dos pontos de destaque da coleção Foto: Maurizio Degl'Innocenti/ANSA via AP)