Gucci, Zara e outras marcas assinam tratado de sustentabilidade

Redação - O Estado de S. Paulo

Documento criado pela Global Fashion Alliance foca em incentivo da economia circular

A Gucci já havia anunciado que deixaria de usar pele de animais em suas peças 

A Gucci já havia anunciado que deixaria de usar pele de animais em suas peças  Foto: Valerio Mezzanotti/The New York Times

Na última quinta-feira, 19, 64 marcas, incluindo nomes como Zara, H&M e Adidas, assinaram um tratado se comprometendo a ter uma produção mais sustentável até 2020. A iniciativa veio do grupo Global Fashion Alliance, que tem como objetivo trazer a atenção da moda para o estilo de economia circular. O conglomerado de luxo Kering, responsável por grifes de luxo como Gucci, Balenciaga e Stella McCartney, também faz parte do acordo.

O que isso vai significar em ações de fato, só será possível saber no futuro. Cada companhia criou os seus próprios meios de atingir a meta: design sustentável, reutilizar produtos e usar tecidos recicláveis até 2020. A Asos, por exemplo, irá extinguir material não-recicláveis de sua cadeia de produção. O grupo Kering, por sua vez, se comprometeu a investir em tecnologias sustentáveis. 

O Global Fashion Alliance faz recomendações gerais e, a cada ano, estas marcas deverão mostrar o seu progresso para a aliança, que irá publicar relatórios com as novidades. “Nós recebemos 143 propostas, com focos em diversas áreas e diferentes níveis de engajamento, mas todas têm um ponto em comum: dar passos para que a moda seja uma industria circular”, explicou Eva Krause, chefe excutiva do GFA, em entrevista para o WWD.