'Eu ouvi inúmeras histórias de terror', diz Gisele sobre assédio sexual

Redação - O Estado de S.Paulo

Em entrevista ao 'The Wall Street Journal', a modelo falou sobre feminismo e a responsabilidade das agências em proteger suas modelos

Gisele Bündchen acredita que as mulheres estão passando por um momento histórico 

Gisele Bündchen acredita que as mulheres estão passando por um momento histórico  Foto: DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Gisele Bündchen não se faz de rogada quanto às causas em que acredita, e é uma defensora fervorosa a favor do meio ambiente e dos direitos das mulheres. Mas foi só nesta terça, 27, que ela fala abertamente sobre os assédios ocorridos no mundo da moda. Em entrevista ao The Wall Street Journal, ela conta que já ouviu que era apenas um cabide e estava ali para vender. "Encontrei pessoas muito legais e amáveis, mas algumas vezes trabalhei com pessoas não tão legais", fala. "Eu ouvi inúmeras histórias de terror". 

Para ela, as agências têm uma parcela de culpa pelo assédio. "Se existe alguém responsável pelas modelos, são os agentes", opina Gisele. "Como você espera que uma menina como eu, que saí do Brasil para ir morar em Nova York aos 16 anos, saiba o que acontece? Não conhecia nenhuma dessas pessoas, não tinha ideia. Mas os agentes trabalham com isso há 20 anos, eles sabem." 

Na mesma entrevista ela também afirma acreditar que o mundo está passando por uma transformação. "É um momento importante para as mulheres. Não só nos negócios, é muito maior. É cultural, estamos vivendo o fim daquela coisa patriarcal 'só porque eu sou um homem poderoso, posso fazer o que quiser'."