Estilistas olham para o futuro no segundo dia de Casa de Criadores

Redação - O Estado de S.Paulo

Rafael Caetano, Cajá e Också e os designers do projeto LAB apresentaram suas novidades

As novas famílias no desfile de Rafael Caetano

As novas famílias no desfile de Rafael Caetano Foto: Agencia Fotosite

No segundo dia da 44ª edição da Casa de Criadores, semana de moda que reúne novos talentos da moda nacional, os estilistas buscaram falar de questões atuais do mundo assim como olhar para o futuro. 

A coleção da Cajá foi inspirada em um cenário onde as mulheres conquistaram seus direitos e políticas sociais foram estabelecidas. A estilista Gabriela Cajado traduz este futuro utópico em peças pensadas para corpos, nacionalidades e idades múltiplas, com uma paleta de cores que sai do branco e abraça cores mais vibrantes até chegar no neon. Os tecidos artesanais, feitos a mão como um resgate de valores importantes, contrastavam com elementos esportivos. 

A Också trouxe uma coleção mirando em seu próprio futuro e seus "novos ares". O ponto de partida do estilista Igor Crivellaro foi o estudo das cores que, além dos tradicionais tons neutros, colocou amarelo nas peças. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Casa de Criadores (@casadecriadores) em

A dupla Alex Santos e Van Loureiro também fala sobre o amanhã, mas mirando o ambiente árido do nordeste brasileiro e buscando referências no universo de Mad Max. Os modelos apresentaram a coleção de joias e roupas sustentáveis como se fossem pessoas tentando sobreviver nesse universo, alguns deles representados metade humanos, metade robôs. Nas roupas, malhas metálicas, rasgos, fendas e tons terrosos deram o tom de futuro pós-apocalíptico. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Också (@ocksaofficial) em

Diego Gama foi o outro participante do projeto LAB, uma incubadora de novos talentos, propondo uma reflexão sobre como as pessoas cultivam suas relações na atualidade, com elementos visuais, formais e táteis, questionando a maneira como elas tecem os seus ecossistemas afetivos. 

Em sua marca homônima, Rafael Caetano também falou de relacionamentos, parceria, coletivo e o amor, buscando inspiração no álbum Novas Famílias, de Marina Lima, ele trata de cenários de famílias gays. O destaque fica por conta do uso de tecidos naturais como algodão e linho combinados com sarja e jeans.