Estilista passa a produzir máscaras para ajudar combater coronavírus

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Christian Siriano, que já fez vestidos para artistas como Celine Dion, atendeu a um pedido de ajuda do governador de Nova York

Christian Siriano postou uma foto de sua equipe produzindo as máscaras

Christian Siriano postou uma foto de sua equipe produzindo as máscaras Foto: Instagram/ @csiriano

O estilista Christian Siriano, que ficou famoso após ganhar um reality show de moda e já fez vestidos para personalidades como Céline Dion e a atriz Zendaya, está utilizando os equipamentos da sua marca de vestidos de luxo para produzir máscaras cirúrgicas em meio à pandemia do novo coronavírus.

A medida veio após um pedido de ajuda de Andrew Cuomo, governador de Nova York. O estado atualmente possui o maior número de casos do novo coronavírus nos Estados Unidos, com metade dos casos de todo o país, e tem sofrido com falta de equipamentos hospitalares, como máscaras.“Se o governador Cuomo diz que nós precisamos de máscaras, meu time irá ajudar a fazer algumas. Eu tenho um time inteiro de costura trabalhando de casa que pode ajudar”, disse Siriano no Twitter, em 20 de março. Cuomo respondeu o estilista no mesmo dia: “Nós estamos em contato com Christian. Nós apreciamos muito sua ajuda. Quem será o próximo? Vamos fazer isso juntos, Nova York”.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Na terça-feira, 24, Christian compartilhou diversos stories em sua conta no Instagram mostrando sua equipe trabalhando e produzindo as máscaras. “Isso é o que a moda é para nós no momento. Fazendo centenas de máscaras por dia e é com isso que podemos ajudar”, disse o estilista em uma publicação que mostra seu time de costureiras. 

 Até ontem, 24, os Estados Unidos registraram 53 mil casos de pessoas contaminadas com o vírus, com nove mil novos casos apenas nesta terça. Também foram confirmadas 700 mortes.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus